Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

ANP pede uma reunião de emergência com a Liga Árabe

Mais de 80 palestinos foram mortos na Faixa de Gaza desde o início da ofensiva israelense. Em 5 dias, cerca de 1.000 foguetes foram disparados contra Israel

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu uma reunião de emergência da Liga Árabe para discutir os ataques israelenses contra a Faixa de Gaza. A ANP, que governa a Cisjordânia, é presidida por Mahmoud Abbas, cujo movimento secular Fatah foi expulso de Gaza há cinco anos pelo islamita Hamas, que agora controla a região. Abbas tem sido acusado por alguns palestinos de não ter reagido energicamente aos ataques aéreos de Israel contra Gaza.

No sábado, chanceleres de países árabes condenaram a ofensiva israelense em Gaza e expressaram seu “completo descontentamento” com o fracasso do Conselho de Segurança da ONU em assegurar um cessar-fogo. O chefe da Liga Árabe e um grupo de chanceleres árabes vão visitar a Faixa de Gaza na terça-feira, numa demonstração de solidariedade aos palestinos.

Leia também:

Leia também: Secretário-geral da ONU pede trégua imediata em Gaza

Cisjordânia – Nesta segunda-feira, moradores do vilarejo palestino de Orif, perto da cidade de Nablus, disseram que um grupo de colonos judeus de um assentamento próximo atearam fogo à entrada de uma mesquita. O Exército israelense foi chamado para verificar o incidente, enquanto o grupo de direitos humanos B’tselem afirma que colonos são suspeitos de atacar inúmeras mesquitas na Cisjordânia ocupada por Israel desde 2009.

Cerca de 500.000 israelenses e 2,5 milhões de palestinos vivem na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, áreas que, junto com a Faixa de Gaza, foram capturadas por Israel na Guerra de 1967 no Oriente Médio e que os palestinos reivindicam posse para seu futuro estado.

Saiba mais:

Saiba mais: Em cinco dias, mil foguetes foram disparados contra Israel

Mortos – Pelo menos 87 palestinos, entre eles crianças e mulheres, foram mortos em Gaza desde o início da ofensiva israelense. Foguetes disparados de Gaza mataram três civis israelenses. Israel declarou seus objetivos de acabar com o arsenal dos militantes de Gaza e de forçar o Hamas a parar de lançar foguetes contra cidades da fronteira do sul israelense.

Os militantes palestinos durante anos miraram essas cidades fronteiriças, mas também ampliaram o alcance para locais mais distantes, como Tel Aviv e Jerusalém. O Exército israelense disse que 544 foguetes disparados de Gaza atingiriam Israel desde quarta-feira passada. Cerca de 300 foram interceptados e 99 não chegaram a Israel.

(Com agência Reuters)