Clique e assine com até 92% de desconto

Anac recomenda a companhias aéreas que operam no Brasil a permanência de duas pessoas na cabine

Orientação é divulgada uma semana depois da queda do Airbus da Germanwings, que provocou a morte de 150 pessoas

Por Da Redação 31 mar 2015, 20h44

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recomendou nesta terça-feira às companhias aéreas que operam no Brasil que adotem procedimentos para assegurar a permanência de pelo menos duas pessoas autorizadas na cabine de comando, em todos os momentos do voo. Pelo menos uma dessas pessoas deve ser um piloto.

A iniciativa da agência ocorre uma semana depois da queda do Airbus A320 da Germanwings, que ia de Barcelona, Espanha, para Düsseldorf, na Alemanha, levando 150 pessoas. As investigações apontaram que o copiloto Andreas Lubitz aproveitou um momento em que ficou sozinho na cabine para provocar o desastre.

“Essa recomendação está em consonância com a de outras autoridades reguladoras da aviação civil do mundo, com base nas informações atualmente disponíveis sobre o acidente com o voo 4U9525 da empresa Germanwings”, diz a nota.

A Anac ressalta que a recomendação poderá ser revista “em função de sua execução ou de novas informações sobre o acidente com o voo 4U9525”.

No mesmo dia em que foi divulgada a informação sobre a ação deliberada do copiloto para provocar a tragédia, várias companhias aéreas anunciaram que passariam a exigir a presença de duas pessoas no cockpit. A Lufthansa, controladora da Germanwings, informou na última sexta-feira que mudaria seus procedimentos de cabine.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade