Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Americano acusado de espionagem é condenado a 10 anos de trabalho forçado na Coreia do Norte

Segundo autoridades norte-coreanas, ele levava segredos militares em um pendrive

Um coreano-americano acusado de espionagem foi condenado a dez anos de prisão e trabalhos forçados na Coreia do Norte. Kim Dong-chul, americano de origem sul-coreana, foi considerado culpado dos crimes de espionagem e roubo de informação sigilosa pela Suprema Corte do país.

O homem de 62 anos foi detido na Coreia do Norte em outubro do ano passado. Segundo autoridades norte-coreanas, ele portava um pendrive contendo segredos militares no momento da prisão.

Leia também:

Coreia do Norte volta a lançar míssil de médio alcance sem sucesso

Kim, que vivia no estado americano de Virgínia, disse a jornalistas norte-coreano que foi apresentado a espiões da Coreia do Sul por oficiais do serviço de inteligência dos EUA. Confissões públicas forçadas são comuns na Coreia do Norte

Em março, um americano foi condenado na Coreia do Norte a 15 anos de prisão e trabalhos forçados por tentar roubar um cartaz de propaganda política do hotel onde estava hospedado na capital Pyongyang. Otto Frederick Warmbier, um estudante de 21 anos da Universidade da Virgínia, foi condenado pela Justiça norte-coreana dezesseis dias depois que reconheceu publicamente seu “crime”, em uma confissão que também pode ter sido forçada.

(Da redação)