Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemão é resgatado após ficar 12 dias preso em caverna

O espeleólogo e pesquisador Johann Westhauser, 52 anos, estava com a cabeça ferida e com a saúde debilitada, mas manteve-se consciente

​Equipes de salvamento conseguiram nesta quinta-feira realizar com sucesso o resgate do espeleólogo alemão Johann Westhauser, doze dias depois do acidente que sofreu a 1.000 metros de profundidade na gruta mais profunda e estreita da Alemanha, localizada próxima da fronteira com a Áustria, no sul do país. Westhauser estava ferido e fisicamente debilitado, mas consciente.

O espeleólogo acidentado foi transportado em uma maca por volta das 6h45 (horário de Brasília), cerca de 274 horas após ter ficado preso no fundo da gruta. Mais de uma centena de pessoas participaram da complexa operação de salvamento, entre as sucessivas equipes que se revezaram na tarefa de avançar com a maca rumo à saída da caverna, entre fossas muito estreitas e em condições extremas.

Leia também

Primeira etapa de resgate de homem ferido em caverna é concluída

Equipes tentam resgatar pesquisador ferido em caverna​

Alpinista cai em fenda no Himalaia e filma a própria agonia

Do lado de fora o homem era esperado em um hospital de campanha, de onde após serem realizados os primeiros exames médicos estava prevista a transferência do acidentado a um hospital próximo. Westhauser, um experiente espeleólogo de 52 anos, sofreu ferimentos no crânio ao ficar preso na caverna.

No dia seguinte ao acidente, uma equipe com especialistas da Alemanha, Áustria, Suíça e Itália começou a traçar o plano de salvamento. A operação foi considerada muito complexa devido aos ferimentos e às características geológicas da caverna. Boa parte do caminho até a superfície é formado por abismos que precisam ser escalados com o auxílio de cabos e grampos. Para Westhauser ser resgatado, foi preciso o trabalho de espeleólogos tão experientes quanto o próprio acidentado.

Local da caverna

O sistema de cavernas de Riesending, que se estende por 19,2 quilômetros e chega a 1.148 metros de profundidade, foi descoberto em 1995. A área só foi mapeada recentemente e por isso as equipes enfrentam dificuldades para se locomover no local. Johann Westhauser trabalha no Instituto de Física Aplicada do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe, no oeste da Alemanha. Ele é um dos pesquisadores que descobriram Riesending em 1995.

(Com agência EFE)