Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemão desaparecido em naufrágio aparece – na Alemanha

Informação foi divulgada pela imprensa italiana, sem maiores detalhes da vítima

Em meio ao intenso trabalho de resgate por sobreviventes do naufrágio do transatlântico Costa Concordia, uma surpresa: um homem que constava na lista de desaparecidos na tragédia foi encontrado – são e salvo – nesta terça-feira, em sua própria casa, na Alemanha, de acordo com os jornais italianos Il Post e Il Messagero que citam autoridades da cidade de Grosseto, onde foi instalado um gabinete de crise após o acidente. O “ex-desaparecido”, que não havia informado o governo local sobre seu paradeiro, não teve sua localização nem nome divulgados.

Assista: Vídeo mostra o resgate no navio naufragado

Entenda o caso

  1. • O navio Costa Concordia viajava com mais de 4.200 pessoas a bordo quando bateu em uma rocha junto à ilha italiana de Giglio, na noite do dia 13 de janeiro.
  2. • A colisão abriu um grande buraco no casco do navio, que encheu de água, encalhou em um banco de areia e virou.
  3. • Onze mortos foram confirmados até agora.
  4. • Os trabalhos de buscas são coordenados com a tarefa de retirar as 2.400 toneladas de combustível do navio, sob o risco de contaminação da área do naufrágio.

Leia mais no Tema ‘Naufrágio Costa Concordia’

Ainda não foi confirmado, porém, se ele é um sobrevivente de fato ou se seu nome constava erroneamente entre as vítimas. A Alemanha é o país com maior número de cidadãos desaparecidos no acidente com o Costa Concordia – há 13 alemães não localizados, além de seis italianos, quatro franceses, dois americanos, uma peruana, um indiano e um húngaro, segundo a última atualização da Prefeitura de Grosseto.

As equipes de resgate do naufrágio encontraram nesta terça-feira mais cinco corpos, elevando o número de mortos de 6 para 11. As vítimas foram encontradas na parte submersa do navio por mergulhadores, que utilizaram explosivos para abrir passagem no casco da embarcação. São quatro homens e uma mulher, com idades entre 50 e 60 anos, e todos usavam coletes salva-vidas.

Comandante – Segundo as investigações preliminares e a própria empresa proprietária do transatlântico, o naufrágio foi provocado por um “erro humano” do capitão Francesco Schettino, que aproximou o navio a aproximadamente 150 metros do litoral da ilha de Giglio, no mar Tirreno, região costeira da Toscana. Na manobra, o Costa Concordia se chocou contra rochas no fundo do mar, teve o casco rachado e encalhou.

O capitão nega qualquer culpa no acidente, e refuta também a acusação de que teria abandonado o navio antes do resgate de todos os passageiros. Mas um áudio divulgado nesta terça contradiz sua versão. A gravação do diálogo entre Schettino e a Guarda Costeira, mostra claramente o comandante Gregorio Maria De Falco, da Capitania do Porto de Livorno, ordenando que ele volte para a embarcação e ajude na evacuação.

Após uma audiência judicial de mais de três horas também nesta terça, a juíza Valeria Montesarchio determinou que o comandante fique em prisão domiciliar. Na mesma sessão, ficou decidido que o capitão será submetido a um exame toxicológico para averiguar se ele usou drogas na noite do acidente. Preso no sábado sob acusação de homicídio múltiplo por imprudência, naufrágio e abandono de navio, Schettino pode pegar até 15 anos de prisão se for condenado.

Ouça, abaixo, o diálogo que comprova a fuga do comandante do Costa Concordia: