Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Alemanha: Turquia manda ‘sinal errado’ sobre protestos

Emissoras ligadas à oposição são multadas por transmitir manifestações

Por Da Redação
12 jun 2013, 10h29

O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, disse nesta quarta-feira que o governo da Turquia está enviando um sinal errado ao exterior e à população turca com a reação violenta aos protestos. Westerwelle descreveu como “perturbadoras” as imagens dos confrontos na Praça Taksim, na região central de Istambul.

Leia também:

Turcos ignoram ameaças do governo e voltam às ruas para protestar

Erdogan ameaça manifestantes: ‘Acabou a tolerância’

Continua após a publicidade

Polícia dispersa manifestantes e controla praça em Istambul

“Nós esperamos que o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan controle a situação, no espírito dos valores europeus, e busque um diálogo pacífico e uma troca construtiva”, disse Westerwelle em comunicado. A polícia turca entrou em confronto com grupos de manifestantes durante a noite, para dispersá-los da Praça Taksim, o epicentro de quase duas semanas de protestos contra Erdogan. A praça amanheceu vazia após a ação policial, e os manifestantes estão reunidos na manhã desta quarta-feira no Parque Gezi, vizinho à praça.

Imprensa – Os quatro canais de televisão considerados mais próximos da oposição foram multados pelo Conselho Superior de Rádio e Televisão da Turquia (RTÜK) por terem transmitido os protestos no Parque Gezi, informou nesta quarta-feira o jornal Hurriyet.

O RTÜK alegou que as multas foram impostas às emissoras por “prejudicarem o desenvolvimento físico, moral e mental das crianças e jovens” devido à transmissão dos tumultos. As emissoras multadas são Halk TV, Ulusal TV, Cem TV e EM TV.

Continua após a publicidade

A Halk TV adquiriu popularidade incomum na Turquia por ser a única que dá informações, durante 24 horas, sobre a onda de protestos. Esse é o mesmo canal que recebeu uma advertência da RTÜK por exibir um vídeo considerado pelas autoridades “humilhante” para o primeiro-ministro.

Os grandes canais de notícias 24 horas, no entanto, se tornaram alvo de piada, sobretudo depois que a CNNTürk exibiu, no primeiro dia das revoltas, um documentário sobre pinguins enquanto aconteciam intensos confrontos entre os manifestantes e a polícia no centro de Istambul. Em tom de paródia, dias depois, o pequeno canal Ulusal TV cortou a transmissão ao vivo de um discurso de Erdogan para também colocar no ar imagens de pinguins.

Os protestos antigoverno na Turquia começaram após o anúncio da destruição do Parque Gezi para um projeto de urbanização (o local deve ser transformado em um centro de compras) – plano que será mantido, garantiu o premiê. No entanto, as manifestações acabaram se tornando uma expressão mais ampla do descontentamento popular com os planos de desenvolvimento urbano do governo, com o apoio aos rebeldes na vizinha Síria – que muitos acreditam ter feito o conflito chegar ao território turco – e também com medidas vistas como autoritárias, entre elas a recente restrição à venda de bebidas alcoólicas na madrugada e as advertências contra demonstrações públicas de afeto.

(Com agências EFE e Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.