Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemanha oferece € 100 mil por informações sobre suspeito

Na noite de segunda-feira, um caminhão invadiu a área de uma feira natalina em Berlim. Doze pessoas morreram no atentado

A Alemanha ofereceu nesta quarta-feira uma recompensa de até 100.000 euros por informações que levem à prisão de um homem tunisiano suspeito de envolvimento no ataque com caminhão em Berlim, identificando-o como Anis Amri, de 24 anos. Segundo a polícia, Amri é perigoso e pode estar armado.

As autoridades alemãs advertem que Amri usa seis pseudônimos diferentes e já tentou se passar como cidadão egípcio e libanês. De acordo com a rede britânica BBC, Amri viajou para a Itália em 2012 e, três anos depois, chegou à Alemanha, onde solicitou asilo e conseguiu permissão temporária para ficar no país até abril deste ano. Em junho, ele teve o pedido de asilo permanente negado por não possuir os documentos necessários.

“Anis Amri tem 1,78 cm de altura e pesa cerca de 75 kg, tem cabelos pretos e olhos castanhos”, disse o gabinete da promotoria no comunicado. “Cuidado: ele pode ser violento e estar armado!”

O Ministério Público Federal (GBA) disse em um comunicado que uma busca por Amri estava em andamento, com o apoio de forças policiais em todos os 16 Estados federais da Alemanha.

Segundo a imprensa alemã, o tunisiano tem vínculos com o pregador islâmico radical Ahmad Abdelazziz A., também conhecido como Abu Walaa, que foi preso em novembro. Abu Walaa, que já foi considerado figura-chave do islamismo na Alemanha, também é conhecido como o “pregador sem face” porque, nos vídeos que divulgava pelo YouTube, não mostrava o rosto.

Na noite de segunda-feira, um caminhão invadiu a área de uma feira natalina na praça Breitscheidplatz, na avenida Kurfuerstendamm, na capital alemã. O atropelamento deixou onze mortos e 48 feridos. A polícia também encontrou um homem morto a tiros no banco do passageiro do veículo, mas ainda não se sabe qual seu envolvimento com o ataque.

Anis Amri Anis Amri

Anis Amri (/AFP)

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. sebastiao ferreira cantarino

    Voltem com estes muçulmanos pra terra deles. Se não respeitam a casa dos outros é melhor que voltem para as suas, deve ser melhor, lá tem alá.

    Curtir

  2. sebastiao ferreira cantarino

    Devem localizar cada muçulmano, identificá-los e mantê-los bem vigiados. Os europeus vão se arrepender por ter dado asilo para esta gente, em um futuro bem proximo, a europa será varrida por uma onda de atentados. Quem viver verá!!

    Curtir

  3. tudo isso porque os estados unidos e nações unidas apoiaram e deram incentivos ao estado islamico, vendendo armas e apoio logistico a arabia saudita, quatar e jordania (foram mais de 100 bilhoes de dolares nos ultimos 10 anos) e agora esses paises que apoiaram todo o massacre de civis em paises como siria, libano, iraque, iemen, libia, afeganistão estão

    Curtir