Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Alemanha diz que Europa não pode mais confiar nos EUA

Donald Trump qualificou a União Europeia como ´maior adversária´ de seu país na área comercial e sugeriu ao Reino Unido processar o bloco

Por Da Redação
Atualizado em 30 jul 2020, 20h15 - Publicado em 16 jul 2018, 14h14

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, declarou hoje (16) que a Europa não pode mais confiar nos Estados Unidos depois de seu presidente, Donald Trump, ter classificado a região como “o maior adversário mundial” de seu país na área comercial. Maas defendeu a aproximação ainda maior entre os parceiros da União Europeia diante da atual liderança em Washington.

Trump deu a declaração sobre a Europa durante entrevista à rede de televisão americana CBS News. Anteriormente, pelo Twitter, Trump afirmou serem “injustas” as barreiras comerciais impostas pela União Europeia a produtos americanos, apesar de seu governo ter aplicado tarifa de importação de 25% sobre o aço europeu e aberto o flaco para retaliações.

“Nós não podemos mais confiar completamente na Casa Branca. Para manter nossa parceria com os Estados Unidos temos de reajustá-la”, afirmou Maas.

“A primeira consequência clara (à postura de Trump) só pode ser a necessidade de nos alinharmos ainda mais estreitamente na Europa. A Europa não pode se dividir por mais afiados que os ataques verbais e absurdos que os tuítes sejam”, completou o ministro, em entrevista ao grupo Funke, dono de mais de 500 jornais e revistas em oito países europeus.

As declarações de Trump contra a Europa têm como alvo especial a Alemanha. Na recente reunião de líderes da organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o americano criticou Berlim por ser “refém” da Rússia, principal fornecedor de gás natural ao mercado alemão. Por meio do Twitter, Trump responsabilizou a política imigratória da primeira-ministra, Angela Merkel, pelo aumento de criminalidade na Alemanha – algo que não vem ocorrendo, segundo as estatísticas alemãs.

Apesar de sua postura, depois de encontro bilateral com Merkel, afirmou que os Estados Unidos e a Alemanha mantêm uma “tremenda relação”. Mas, diante da primeira-ministra britânica, Theresa May, Trump sugeriu que o Reino Unido processasse a União Europeia em vez de concluir as negociações para sua saída do bloco, o Brexit.

Durante a sua entrevista para a CBS, o presidente americano considerou também a Rússia como adversária em “alguns aspectos”, assim como a China, na área econômica. “Mas isso não significa que sejam mais. Não significa nada. Só significa que eles são competitivos”, completou, referindo-se aos chineses.

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.