Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Alemanha abre as portas para brasileiros vacinados

Turistas vindos do país que já receberam as duas doses da vacina há pelo menos 14 dias estarão dispensados de fazer quarentena

Por Sofia Cerqueira 21 ago 2021, 16h51

Depois da Suíça e da França, a Alemanha anunciou que flexibilizará as regras para a entrada de brasileiros. A partir deste domingo, 22, todos os turistas vindos do país que já tomaram as duas doses da vacina contra a Covid-19 poderão entrar em solo alemão sem a necessidade de cumprir quarentena. A relação de imunizantes aceitos pelo governo alemão inclui os imunizantes aplicados no Brasil – Pfizer, AstraZeneca (incluindo Covishield, produzido na Índia e usado no Brasil) e Janssen –, com exceção da Coronavac. A expectativa é que em breve haja a inclusão da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e produzida aqui pelo Instituto Butantan nessa lista, assim como a sua aprovação pela Agência Europeia de Medicamentos.

O Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã para o controle e prevenção de doenças infecciosas, informou na sexta-feira, 20, que o Brasil terá seu extatus alterado de “área com variantes do vírus” para “área de alto risco de Covid-19”, a partir da zero hora deste domingo. Como outros países europeus já estabeleceram, os viajantes brasileiros só poderão entrar no país após terem recebido a segundo dose da vacina há pelo menos 14 dias.

O turista brasileiro completamente imunizado que desejar visitar a Alemanha terá que apresentar um comprovante de vacinação, que poderá ser o Certificado Covid Digital da União Europeia ou outro similar, como o gerado pelo aplicativo ConecteSUS. O documento (digital ou impresso) precisa estar em inglês, alemão, espanhol, francês ou italiano. Os visitantes ainda precisarão preencher um formulário sanitário digital, com informações pessoais e histórico de viagens.

A decisão da Alemanha de abrir as portas para os brasileiros imunizados vai de encontro com as medidas já adotadas por países como a Suíça, França, Islância, Catar e Bahamas, por exemplo. A expectativa é que na primeira semana de setembro o Canadá também se junte a essa relação.

A Alemanha soma 3,85 milhões de casos de Covid-19 e 91.963 mortes.

Continua após a publicidade
Publicidade