Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Agentes federais começam a interrogar Dzhokhar Tsarnaev

Questões giram em torno da participação dos irmãos suspeitos do atentado na maratona de Boston em células de terrorismo de caráter internacional

Agentes federais dos Estados Unidos começaram na noite deste domingo a interrogar o Dzhokhar Tsarnaev, suspeito de ser coautor dos atentados que aconteceram na última segunda-feira, durante a maratona de Boston. Segundo veículos de comunicação americanos, o jovem de 19 anos já estaria respondendo perguntas escritas realizadas por investigadores do FBI, uma vez que ele sofreu lesões na garganta produzidas durante um tiroteio na sexta-feira. Seu irmão, Tamerlan Tsarnaev, morreu na noite de quinta-feira após um confronto com a polícia.

Leia também:

Primeiros indícios são de que suspeitos agiram sozinhos, diz polícia

‘Ainda há muitas perguntas sem respostas’, diz Barack Obama

De acordo com a rede americana ABC, as questões giram em torno da participação dos irmãos em células de terrorismo de caráter internacional. Ainda não se sabe se os oficiais leram os direitos básicos do jovem, um assunto que levantou polêmica, já que tal exceção é aplicada quando a segurança pública está em perigo – algo que as autoridades já descartaram após a detenção do suspeito.

A princípio, os investigadores não leram seus direitos – e, deste modo, Dzhokhar não pode invocar o direito de permanecer em silêncio durante o interrogatório. A decisão, amparada em uma exceção prevista nas leis antiterroristas da justiça americana, é uma tentativa de tentar obter mais informações do suspeito.

A ABC também assegura, baseando-se em fontes ligadas ao caso, que o detido sabe que seu irmão morreu durante o tiroteio posterior à perseguição que as forças de segurança dos Estados Unidos realizaram contra ambos na noite da quinta-feira.

Em relação a seus problemas na garganta, que o impedem de responder com maior agilidade às perguntas dos agentes federais, o jornal The New York Times assegurou que as autoridades acreditam que a lesão foi feita por ele mesmo em uma tentativa de suicídio, levando em conta os ferimentos sofridos.

O Departamento de Justiça americana tinha rejeitado o anúncio da apresentação de acusações neste domingo depois que a sedação do rapaz foi retirada. Quando Tsarnaev recuperou a consciência, os médicos comprovaram que seu estado continuava sendo grave, por isso que voltaram a sedá-lo. No entanto, levando em conta as últimas informações sobre seu estado, vários meios de imprensa apontam que é possível que as acusações sejam apresentadas nesta segunda-feira. Dzhokhar poderia ser acusado de assassinato no estado de Massachusetts, onde não há pena de morte, mas em nível federal poderia enfrentar acusações de terrorismo, em cujo caso poderia ser condenado à pena capital.

As autoridades disseram neste domingo, tendo em vista o abundante armamento e munição que foram encontrados nas buscas, que possivelmente ele e seu irmão mais velho estavam preparando mais ataques. A promotora federal Carmen Ortiz, de origem porto-riquenha, é a encarregada de preparar a apresentação das acusações, que poderiam ter de ser formalizadas no quarto do hospital Beth Israel, no qual Dzhokhar está internado.

Leia mais:

FBI investigou suspeito do atentado de Boston em 2011

Denúncia levou polícia ao suspeito do atentado de Boston

Ainda não se sabe se Carmen e o Departamento de Justiça consideram Dzhokhar, naturalizado americano, como um criminoso dentro do sistema de justiça ordinário ou como um “‘combatente inimigo”, da mesma forma que os suspeitos da Al Qaeda que continuam detidos na prisão da base naval americana de Guantánamo (Cuba).

(Com EFE)