Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Advogado que representava Sakineh diz que ela pode ser poupada

Ele afirma que o governo do país tem autoridade para tomar este tipo de decisão, o que já ocorreu outras sete vezes

O advogado especializado em Direitos Humanos Mohammad Mostafaei, que representava Sakineh Mohammadi Ashtiani, afirmou nesta quarta-feira, em Berlim, que a iraniana tem chances de ser poupada da execução e até ser libertada.

Mostafaei disse que há uma forte pressão internacional para libertar Sakineh e que isso pode fazer com que a Justiça iraniana desista de executá-la. O advogado afirma que o governo do país tem autoridade para tomar este tipo de decisão, o que já ocorreu outras sete vezes com mulheres que também seriam apedrejadas. Mostafaei deixou o Irã e buscou asilo na Europa após ser perseguido pelo regime dos aiatolás ao defender Sakineh.

A iraniana, de 43 anos, foi condenada em 2006 pelo crime de adultério por manter “relações ilegais” com dois homens depois da morte do marido. Mas, por causa da enorme repercussão do caso, a Justiça do Irã acrescentou a acusação de homicídio contra ela e suspendeu temporariamente a sentença de apedrejamento. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu a possibilidade de receber Sakineh como refugiada no Brasil, mas sua proposta foi rejeitada pelo governo do iraniano.