Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Adolescente palestino é morto em possível ataque por vingança

Jerusalém tem confrontos perto da casa de jovem palestino assassinado. Polícia israelense impediu ataques contras palestinos no centro da cidade

A descoberta de um corpo com marcas de violência em um bosque de Jerusalém nesta quarta-feira levantou suspeitas de que um garoto palestino desaparecido tenha sido morto por israelenses em vingança pelas mortes de três adolescentes judeus – reporta a rede CNN. Palestinos atiraram pedras contra as forças israelenses em Jerusalém depois da divulgação da notícia, mas não há relatos de ferimentos graves.

Em um comunicado, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu à polícia enfaticamente que “investigue rapidamente quem está por trás do repulsivo assassinato e seu motivo”. Ele pediu a todas as partes que não “façam justiça com as próprias mãos”. Moradores palestinos de Shuafat, um subúrbio árabe de Jerusalém, disseram ter visto o adolescente ser forçado a entrar em um veículo diante de um supermercado na noite de terça-feira. Eles o identificaram como Mohamed Abu Khudair, 16 anos.

Leia também

Enterro de jovens assassinados atrai milhares em Israel

Israel bombardeia Gaza em resposta à morte de jovens​

Dezenas de soldados israelenses se postaram diante da casa do jovem palestino desaparecido para evitar protestos violentos. Houve enfrentamentos com grupos de manifestantes palestinos que protestavam contra a morte do adolescente. Cerca de 300 pessoas se reuniram nesta manhã nas imediações do edifício onde vivia Mohamed Abu Khudair. À medida em que aumentava a tensão, alguns dos palestinos começaram a lançar pedras e outros objetos contra as tropas, que responderam.

A polícia israelense admitiu que investiga um possível caso de vingança após achar o corpo. O assassinato também foi condenado pelo prefeito de Jerusalém, Nir Barkat. “É um ato bárbaro e horrível que condeno. Essa não é nossa maneira de atuar e tenho certeza que nossas forças de segurança levarão os culpados à Justiça. Peço a todas as partes prudência”, afirmou.

Ontem à noite, quatro adolescentes israelenses foram detidos após atacar dois palestinos que trabalhavam no centro de Jerusalém, onde dezenas de pessoas se manifestaram ao grito de “morte aos árabes” para pedir vingança pelo assassinato dos três estudantes judeus na Cisjordânia. Segundo meios de comunicação locais, policiais detiveram um jovem judeu mascarado quando tentava atacar um empregado de uma famosa rede de fast-food situada na cidade santa. Além disso, outros três adolescentes foram detidos quando tentavam uma ação similar contra um palestino, também empregado no coração comercial de Jerusalém.

Caio Blinder: Episódio tem o potencial de deflagrar uma terceira Intifada

O jornal Yedioth Ahronoth informou, além disso, sobre enfrentamentos na rua Jaffa, pulmão comercial de Jerusalém, onde manifestantes bloquearam os acessos, tentaram entrar no mercado de Menahe Yehuda e gritaram palavras de ordem como “morte aos árabes”, exigindo que Israel vingue o assassinato dos três jovens estudantes. A Polícia israelense elevou na segunda-feira o alerta de suas forças ao nível 3, de um total de 5

(Com agências EFE e Reuters)