Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Adele quer que Donald Trump pare de tocar suas músicas em campanha eleitoral

A cantora britânica Adele afirmou nesta segunda-feira que não quer que o pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos Donald Trump utilize uma de suas canções para promover sua campanha eleitoral. “Adele nunca deu permissão para que sua música seja utilizada em qualquer campanha política”, confirmou a porta-voz da cantora à imprensa britânica.

O magnata americano, que tem como slogan de campanha a frase ‘Vamos fazer os EUA grandes de novo’, já utilizou como fundo musical em seus comícios a canção Rolling In The Deep, do segundo álbum de Adele, 21, e Skyfall, tema do filme 007 – Operação Skyfall.

Leia também:

Quais são as reais chances de Trump ganhar?

Entenda as eleições primárias americanas

Vários admiradores da artista também expressaram desaprovação em comentários no Twitter, nos quais alguns se mostravam “ofendidos em nome de Adele”.

Durante um comício que Trump fez em Lexington, na Carolina do Sul, Rolling In The Deep, que ganhou vários prêmios, começou a tocar enquanto o político subia ao palco para discursar. O polêmico magnata, que já fez comentários xenófobos e islamofóbicos, é fã de Adele.

A cantora britânica não é a primeira artista a se manifestar contra a reprodução de suas músicas em comícios de Trump. No ano passado, o líder do Aerosmith, Steven Tyler, o obrigou a parar de tocar Dream On com fins políticos.

(Com EFE)