Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Acusado de assédio, secretário de Defesa britânico renuncia

Diversos políticos do Reino Unido estão sendo publicamente acusados de assédio sexual

Por Da redação 1 nov 2017, 20h44

O secretário de Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, renunciou ao cargo nesta quarta-feira, após ser acusado de assédio sexual por uma jornalista. Ele foi o primeiro integrante do governo a deixar seu cargo depois de uma onda de denúncias contra políticos envolvidos em casos de assédio.

O ministro reconheceu o caso e pediu desculpas na última segunda-feira por seu comportamento indevido com a jornalista Julia Hartley-Brewer. Ele foi acusado de ter colocado a mão sobre o joelho da mulher repetidas vezes durante um jantar em 2002.

“Diversas acusações sobre parlamentares foram reveladas nos últimos dias, incluindo uma sobre a minha conduta passada. Muitas delas resultaram falsas, mas eu aceito que no passado agi abaixo dos padrões requeridos pelas Forças Armadas que represento”, afirmou Fallon em sua carta de renúncia endereçada à primeira-ministra, a conservadora Theresa May, que viu a decisão com bons olhos.

“Aprecio a forma especialmente séria com que considerou a sua posição e o particular exemplo que quer dar aos homens e mulheres militares e a outros”, afirmou a chefe do governo britânico.

Continua após a publicidade

Após o assédio à jornalista vir à tona, o agora ex-ministro explicou na segunda-feira, através de um porta-voz, que se desculpou com ela “há 15 anos” e que ambos “consideram agora um assunto encerrado”. “Julia é uma boa amiga de Michael. Ele passou do limite quando pôs a mão sobre seu joelho. Ela deixou claro que (o gesto) não era bem-vindo, e ele se desculpou, com razão, há 15 anos”, afirmou o porta-voz.

A própria jornalista, que trabalha na emissora TalkRadio, se manifestou hoje no Twitter sobre a decisão do ministro. “Michael Fallon acaba de renunciar como ministro da Defesa – embora não acredite que meu joelho seja o motivo”, afirmou.

Este não foi o único caso de assédio envolvendo políticos britânicos que ressurgiu nos últimos dias. O presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, pediu nesta semana que os partidos britânicos tomem medidas contra os casos assédio sexual.

Entre os acusados estão o secretário de Estado, Damian Green, que teria se comportado de maneira inapropriado com a ativista Kate Maltby, e o ministro do Comércio Internacional, Mark Garnier, que teria pedido a sua secretária Caroline Edmondson para comprar dois brinquedos sexuais, além de comentar sobre seus seios.

(Com EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês