Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Acidente em mina de carvão deixa 11 mortos e prende dezenas na Rússia

Há mais de 40 pessoas internadas em hospitais da cidade de Kemerovo, na região da Sibéria

Por Ernesto Neves Atualizado em 25 nov 2021, 11h25 - Publicado em 25 nov 2021, 10h01

Ao menos 11 pessoas morreram após um incêndio destruir uma grande mina de carvão localizada na cidade russa de Kemerovo, a 3.500 quilômetros de Moscou,  nesta quinta-feira (25).

Segundo informações divulgadas nas redes sociais pelo prefeito de Kemerovo, Sergei Tsivilyov, outras 46 pessoas continuam retidas dentro da mina, sem comunicação. 

No total, haviam 285 no local no momento da explosão, sendo que 239 foram evacuadas.  Quarenta e três pessoas foram hospitalizadas com ferimentos, quatro delas em estado grave.

A agência estatal de notícias da Rússia Taas informou que o incêndio se espalhou rapidamente através do sistema de ventilação.

O presidente Vladimir Putin estendeu condolências às famílias dos mineiros mortos e ordenou ao governo que oferecesse toda a assistência necessária aos feridos, disse o porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, a repórteres.

Os esforços para resgatar o restante dos mineiros ainda estão em andamento, mas as equipes estão sendo prejudicadas pela grande quantidades de fumaça ainda presente no local.

Continua após a publicidade

Um comitê investigativo do governo federal russo iniciou uma apuração criminal sobre o incêndio sob a acusação de violação das normas de segurança que resultaram em mortes.

Em 2016, 36 mineiros foram mortos em uma série de explosões de metano em uma mina de carvão no extremo norte da Rússia.

Na sequência do incidente, as autoridades analisaram a segurança das 58 minas de carvão do país e declararam 20 delas, ou 34 por cento, potencialmente inseguras.

A mina de Kemerovo não estava entre elas na época, de acordo com relatos da imprensa russa.

A última inspeção da mina ocorreu em 19 de novembro, informou a agência de notícias Interfax, citando funcionários do órgão estatal de vigilância ecológica e de tecnologia da Rússia.

O relatório não ofereceu detalhes sobre os resultados da inspeção.

Continua após a publicidade

Publicidade