Acidente aéreo deixa ao menos 29 mortos na Rep. Dem. do Congo

Avião caiu em bairro povoado próximo ao aeroporto da cidade de Goma

Por AFP - 25 nov 2019, 01h16

Pelo menos 29 pessoas morreram neste domingo em um acidente com um avião que caiu em um bairro próximo do aeroporto de Goma, na República Democrática do Congo.

“Foram encontrados 29 corpos entre os escombros”, informou à noite o governo provincial de Kivu do Norte, assinalando que houve um sobrevivente entre os 19 ocupantes do avião, que foi internado juntamente com 16 feridos.

O avião Dornier-228 da companhia privada Busy Bee, que transportava 17 passageiros e dois tripulantes, caiu pouco depois de decolar, informou o representante Héritier Mamadou.

O avião caiu atingiu uma casa no bairro de Mapendo/Birere de Goma, próximo ao aeroporto, construído em uma área densamente povoada, segundo vídeos compartilhados nas redes sociais.

Publicidade

Um vídeo recuperado pela AFP mostra a cabine da aeronave embutida na parede de uma casa, com habitantes do bairro ao redor.

A aeronave faria o trajeto Beni-Butembo, 350 km ao norte de Goma. O piloto “falhou na decolagem”, afirmou o governador de Kivu do Norte, Carly Nzanzu Kasivita, em comunicado.

“Foi, em princípio, um problema técnico”, declarou o técnico da companhia no local do acidente, citado pelo site de notícias actualite.cd.

A direção da empresa está reunida aguardando os resultados da investigação técnica realizada por uma equipe em campo.

Publicidade

A Missão das Nações Unidas no Congo (Monusco) enviou dois caminhões de bombeiros para reforçar as equipes de resgate. A Busy Bee é uma empresa recente que possui um total de três aeronaves do mesmo tipo que atuam na província de Kivu do Norte.

De Beni, o governador do Kivu do Norte expressou suas condolências às famílias das vítimas. Desde agosto de 2018, Beni e Butembo são o epicentro de uma nova epidemia de Ebola, que matou cerca de 2.200 pessoas.

A pista do aeroporto de Goma foi reformada e ampliada em 2015, depois de ter sido danificada em 2002 pela erupção do vulcão Nyiaragongo. O aeroporto é usado para voos regulares (Ethiopian Airlines, Congo Airways, CAA, Busy Bee), mas especialmente para aeronaves das Nações Unidas e organizações humanitárias.

Os acidentes aéreos continuam sendo um risco na República Democrática do Congo, o maior país da África Subsaariana (2,3 milhões de km2).

Publicidade

Em 10 de outubro, um Antonov-72 caiu no centro do país depois de decolar de Beni. Ele transportava equipamentos de apoio logístico para o presidente Felix Tshisekedi, que retornava no mesmo dia de uma viagem.

Publicidade