Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Abbas manifesta ‘esperança’ de retomar negociações diretas com Israel

Amã, 25 jan (EFE).- As esperanças de retomar as negociações diretas entre israelenses e palestinos se ‘reavivaram’, conforme as palavras pronunciadas pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, pouco antes de um novo encontro com representantes do Estado judaico na Jordânia.

Esta nova reunião, mantida sem comentários pelas autoridades jordanianas, deve ser o último encontro tête-à-tête dos negociadores das duas partes antes que, nesta quinta-feira, termine o prazo estabelecido pelo Quarteto para o Oriente Médio – composto por ONU, União Europeia, EUA e Rússia – para que apresentem suas propostas sobre segurança e fronteiras.

Depois de se reunir com o rei Abdullah II da Jordânia, Abbas enfatizou que os encontros entre os negociadores palestino e israelense neste mês são ‘reuniões preliminares, e não negociações’.

‘A decisão da Jordânia (de acolher conversas) reavivou as esperanças e marca o caminho correto para que Israel não tenha nenhum pretexto depois delas’, declarou o líder palestino.

Abbas acrescentou que seu diálogo com Abdullah serviu para preparar a reunião da comissão da iniciativa de paz da Liga Árabe, prevista para o dia 4 de fevereiro, quando se decidirá ‘o próximo passo’.

Apesar das palavras otimistas, o presidente da ANP também não desperdiçou a ocasião para criticar novamente a construção de colônias israelenses em Jerusalém Oriental e Cisjordânia: ‘Israel não tem intenção de obter a paz’.

Suas declarações chegam em paralelo à revelação feita pelo jornal israelense ‘Haaretz’ de que, na última reunião entre os negociadores-chefe, o israelense Yitzhak Molcho e o palestino Saeb Erekat mantiveram uma dura discussão ao falar sobre as futuras fronteiras do Estado palestino.

Segundo disse uma fonte israelense ao jornal, o confronto verbal surpreendeu os anfitriões jordanianos pela aspereza e surgiu quando Israel quis explicar sua postura sobre esse espinhoso assunto.

O término do prazo dado pelo Quarteto causou uma acelerada atividade diplomática na Jordânia, que busca ‘fazer o máximo possível para favorecer um clima que permita o reatamento das conversas entre palestinos e israelenses’, segundo um comunicado divulgado nesta quarta-feira pela Casa Real jordaniana.

Nos últimos dias, intensificou-se o fluxo de personalidades vinculadas às negociações que chegavam a Amã (capital da Jordânia) para o encontro. Nesta terça-feira, antes de Abbas, o enviado do Quarteto, Tony Blair, se reuniu com o ministro das Relações Exteriores jordaniano, Nasser Judeh, para avaliar o estado das conversas.

Da mesma forma que Abbas nesta quarta-feira, o chefe da diplomacia jordaniana se mostrou esperançoso de que as conversas de Amã conseguirão ‘preparar o clima que permita o reatamento das negociações diretas sérias’ entre a ANP e Israel.

Os palestinos se retiraram das últimas negociações diretas de paz há 16 meses, diante da recusa de Israel em prorrogar uma moratória na construção de assentamentos judaicos nos territórios palestinos.

Também está na região a chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, que desde esta terça-feira faz uma viagem de três dias a Israel e aos territórios palestinos para impulsionar as negociações de paz.

Ashton se reuniu nesta quarta-feira com autoridades israelenses, às quais pediu que Israel abra as fronteiras da Faixa de Gaza para a livre passagem de pessoas e mercadorias. Nesta quinta-feira, ela se reunirá com Abbas em Amã. EFE