Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘A democracia prevaleceu’, diz Biden no discurso de posse

O presidente Joe Biden alfineta o ex-presidente Donald Trump, conhecido por espalhar notícias falsas - inclusive para contestar os resultados eleitorais

Por Amanda Péchy Atualizado em 20 jan 2021, 17h32 - Publicado em 20 jan 2021, 13h42

No momento em que os primeiros flocos de neve começaram a cair em Washington, o presidente eleito, Joe Biden, e sua esposa, a professora Jill Biden, chegaram à posse de posse nesta quarta-feira, 20, dando início ao evento mais antecipado dos Estados Unidos.

A senadora democrata Amy Klobuchar – que concorreu nas eleições primárias no ano passado – abriu a sucessão de discursos. Ela não hesitou em relembrar a invasão ao Capitólio, onde ocorre a cerimônia, ressaltando a importância dos ritos democráticos

“Este evento é a culminação de centenas de anos de democracia”, diz Klobuchar. “Este é um dia em que a nossa democracia se levanta, tira a poeira e faz o que os Estados Unidos sempre fazem, que é seguir em frente.”

Ela afirmou que o país não pode ficar “muito acostumado com o ritual da passagem da tocha”, porque precisa apreciar a “bênção e o privilégio de testemunhar este momento”.

“Estamos celebrando o novo presidente, Joe Biden, que promete restaurar a alma da América. Celebramos nossa primeira vice-presidente negra, mulher e descendentes de asiáticos, Kamala Harris, que mostra que tudo é possível”, diz Klobuchar.

Em seguida, o presidente do comitê da cerimônia de posse, o senador republicano Roy Blunt, assumiu, dizendo que “de todas as coisas que achamos que aconteceria, a neve não estava entre elas!” e agradecendo aos agentes de segurança por lidar com a situação sem precedentes, de ameaça de ataques por apoiadores do presidente Donald Trump.

“Renovamos nosso compromisso para forjar nossa democracia na união. O ataque ao Capitólio mostra que ela é frágil, mas resiliente. Um novo governo começa, e consigo um novo início”, diz Blunt.

Ele ressaltou que a cerimônia ocorre durante uma pandemia que matou 400.000 americanos e uma ameaça de segurança sem precedentes por extremistas. E, no entanto, ele diz, “aqui estão três ramos do governo, transferindo o poder e agindo como a Constituição exige”.

Após a oração do padre jesuíta Lee O’Donavan e da interpretação do hino nacional dos Estados Unidos pela cantora Lady Gaga, a vice-presidente eleita Kamala Harris fez o juramento que oficializa seu cargo, substituindo o republicano Mike Pence.

WASHINGTON, DC - JANUARY 20: Lady Gaga sings the National Anthem at the inauguration of U.S. President-elect Joe Biden on the West Front of the U.S. Capitol on January 20, 2021 in Washington, DC. During today's inauguration ceremony Joe Biden becomes the 46th president of the United States. Tasos Katopodis/Getty Images/AFP
A cantora Lady Gaga, amiga de Biden, performa o hino nacional dos Estados Unidos – 20/01/2021 Tasos Katopodis/AFP
Continua após a publicidade

Kamala e seu marido, Douglas Emhoff, chegaram juntos e foram muito aplaudidos – a vice dando risada por quase tropeçar na escada. Quando os dois cumprimentaram os Obama, Barack disse: “Estou tão orgulhoso de você”. Ele foi o primeiro presidente negro do país.

A vice terá muitos papéis a desempenhar nos próximos anos, mas ela provavelmente passará muito tempo no prédio do Capitólio. Kamala é presidente do Senado, e com esse órgão empatado em 50 a 50 entre republicanos e democratas, ela estará quebrando muitos laços com seu voto.

Depois de Kamala, e de uma performance em que Jennifer López fez questão de cantar em espanhol, foi a vez de Joe Biden fazer o juramento. O presidente da Suprema Corte, John Roberts, foi responsável pelo juramento.

WASHINGTON, DC - JANUARY 20: Jennifer Lopez looks on during the inauguration of U.S. President-elect Joe Biden on the West Front of the U.S. Capitol on January 20, 2021 in Washington, DC. During today's inauguration ceremony Joe Biden becomes the 46th president of the United States. Alex Wong/Getty Images/AFP
A cantora de origem porto-riquenha, Jennifer López, fez questão de cantar em espanhol durante a interpretação de uma tradicional canção dos Estados Unidos – 20/01/2021 Alex Wong/AFP

Biden abriu seu discurso dizendo que o ataque do dia 6 de janeiro ao Capitólio fez com que o país relembrasse que a democracia é preciosa, é frágil. “Mas neste momento, ela prevaleceu mais uma vez”.

“Estamos vivendo tempos difíceis e sem precedentes”, diz Biden, referindo-se à pandemia de coronavírus, à ameaça de terrorismo doméstico, os pedidos por justiça racial e as mudanças climáticas. “São gritos que não podem mais ser ignorados”.

O democrata afirmou que garantir o futuro da américa demanda união. Concedendo que as forças divisoras do país são verdadeiras, enfatizou que não são novas e os Estados Unidos sempre estão em batalha para superá-las.

“Vamos começar do zero. Vamos ouvir uns aos outros, respeitar uns aos outros. Minha alma inteira está nisso aqui, para unir essa nação, e peço a cada americano para se juntar a essa causa”, diz Biden.

Ele completou dizendo que vai ser o presidente de todos, não apenas dos que votaram nele nas eleições de 3 de novembro. Biden conclamou que seus opositores lhe dessem uma chance.

“Precisamos colocar fim nessa guerra, que coloca vermelhos contra azuis. Precisamos acabar com as mentiras”, disse. “A política não tem que ser como um fogo que a tudo destrói”, adicionou, alfinetando Trump.

Biden completou com uma mensagem para todos os que estão assistindo à cerimônia além das fronteiras americanas: “A América foi testada e saímos mais fortes. Vamos nos reconstruir pelos desafios não de ontem, mas de amanhã. Vamos liderar pelo poder do nosso exemplo”.

Continua após a publicidade

Publicidade