Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

250 mil filipinos deixam suas casas para escapar de tufão

Começou nesta quinta a evacuação de zonas de risco do arquipélago. Tufão Songda continua ganhando força e já tem ventos de 150 quilômetros por hora

Começou nesta quinta-feira a evacuação de cerca de 250 mil pessoas nas Filipinas por causa do tufão Songda, que ameaça as ilhas orientais do arquipélago. O tufão está a 250 quilômetros da ilha de Samar e segue ganhando força, com ventos que já atingem 150 quilômetros por hora.

O governador da província de Albay, Joey Salceda, ordenou que caminhões militares transfiram a população em áreas de risco e ofereceu cinco quilos de arroz a cada família que colabore com a evacuação. Colégios e repartições públicas foram fechados e cerca de sete mil pessoas aguardam nos portos do país que a Guarda Litorânea libere a saída de navios.

Temem-se inundações e deslizamentos de terra como efeitos da passagem do Songda pelas ilhas do leste. Além de Albay, outras cinco províncias estão em alerta de nível 2 – numa escala que vai até 5: Catanduanes, Sorsogon, Camarins Sul, Camarins Norte e Samar.

Se confirmada a previsão do serviço nacional de meteorologia das Filipinas (Pagasa), o tufão não chegará a tocar a terra: do litoral das ilhas orientais seguirá rumo a Taiwan. Mas a Pagasa não descarta a possibilidade de o tufão atingir Manila, o que ocorreria no fim de semana. A capital filipina já sofre há dias com chuvas torrenciais e inundações, resultado da passagem da tempestade tropical Aere, a primeira da temporada de chuvas.

Anualmente, entre 15 a 20 tempestades atingem as Filipinas durante a estação chuvosa. Este mês, já morreram 33 pessoas no país vítimas da Aere. O presidente do país, Benigno Aquino, pôs em alerta várias agências governamentais para evitar mortes decorrentes dos tufões, como são tradicionalmente designados os ciclones formados no Oceano Pacífico.