Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

VEJA COMER & BEBER: os melhores restaurantes italianos de Belo Horizonte

Confira ainda dois ótimos restaurantes portugueses na capital mineira

Anella

Preparadas no próprio restaurante pelo chef Paulo Peluso e sua equipe, as massas aparecem em vários pratos do cardápio. O rigatoni à matriciana é valorizado por molho de tomate com pimenta, pancetta e queijo pecorino romano (R$ 59,00). Outra sugestão é o tradicional espaguete à carbonara (R$ 56,00). Para harmonizar, a indicação é o vinho italiano Lucarelli Rosso, da região de Puglia (R$ 105,00). Avenida Ministro Guilhermino de Oliveira, 325, Santa Amélia,3441-8748 (180 lugares). 18h/0h (sex. até 1h; sáb. 12h/1h; dom. 12h/22h.). Aberto em 1986. $$

Cantina Piacenza

Da cozinha liderada por Américo Piacenza saem pratos carregados de memória afetiva, já que o chef é de família italiana e aos 13 anos começou a trabalhar na fábrica de massas frescas dos pais. Para iniciar a refeição, a polenta grelhada com ragu de linguiça sai por R$ 33,00. Ela antecede o paillard com fettuccine alfredo (R$ 60,00) e o ossobuco com raspas de limão e risoto de cogumelos (R$ 65,00). Para finalizar, o tradicional tiramisu custa R$ 25,00. Rua Rio Grande do Sul, 1236, Santo Agostinho,2515-6092 (98 lugares). 11h30/15h e 19h/0h (sáb. e dom. almoço até 17h; fecha seg.). Aberto em 2008. $$

D’Agostim Di Paratella

Um dos finalistas da categoria, o restaurante tem luz baixa e foco nas receitas italianas. Além de massas, o cardápio lista pratos como o cinghiale in civet, que traz a carne de javali marinada no vinho tinto com especiarias, cozida lentamente e guarnecida de polenta (R$ 84,00). Para a sobremesa, o típico tiramisu satisfaz duas pessoas (R$ 28,00). A carta de vinho destaca rótulos italianos, como o Chianti Clássico, safra 2012, oriundo da região da Toscana (R$ 158,00). Rua Bernardo Guimarães, 2520, Lourdes,3347-7126 (50 lugares). 12h/14h30 e 20h/23h30h (sáb. 12h/16h e 20h/23h30h; dom. 12h/16h e 20h/23h; fecha seg. e ter.). Aberto em 2017. $$$

Dona Derna

Fundado em 1960, o restaurante funciona em um bonito casarão histórico e investe em receitas italianas, como a burrata com presunto de Parma e cesta de pães (R$ 36,00, para dois), indicada para iniciar a refeição. Na etapa seguinte, fazem sucesso a lasanha à bolonhesa coberta por fonduta trufada (R$ 50,00) e o capeletti ao forno (R$ 40,00). Acompanha a refeição o vinho tinto argentino Paris, feito com a uva malbec (R$ 90,00). Rua Tomé de Souza, 1331, Funcionários,3223-6954 (135 lugares). 12h/0h (sáb. até 0h30; dom. só almoço até 16h30; fecha seg.). Aberto em 1960. $$

Est! Est!! Est!!! (campeão da categoria 2019)

Natural de San Benedetto del Tronto, na região italiana de Marche, o chef Simone Biondi busca manter-se fiel às tradições culinárias de sua terra, mesmo a tantos quilômetros de distância. Para isso, não hesita em indicar para a clientela uma das especialidades de sua cozinha: as massas de produção própria, cortadas e moldadas manualmente. Um dos líderes de pedidos é o espaguete à carbonara, preparado com guanciale e finalizado com lâminas de gema curada (R$ 56,00). Outra sugestão que agrada é a saltimbocca alla romana (R$ 78,00), escalope de vitelo espetado com presunto cru e sálvia, que é salteado com vinho branco antes de chegar à mesa com o acompanhamento do dia, geralmente um vegetal. Os pratos principais podem ser antecedidos pela burrata de leite de búfala, bem cremosa, servida com rúcula e tomate assado. Ela custa R$ 58,00 e chega acompanhada de pães assados na casa. Misturando influências de diversas regiões da Itália, Biondi recomenda para a sobremesa o cannolo siciliano, com massa crocante e recheio de ricota, frutas cristalizadas e gotas de chocolate (R$ 26,00). Assim como a composição do menu, a trilha sonora dá espaço apenas a canções italianas, e os vinhos, claro, também vêm do país europeu — entre os 150 rótulos disponíveis, destaca-se o Cavalli Chianti Classico (R$ 186,00). Depois da comilança, vai bem o limoncello feito ali mesmo e oferecido como cortesia. Avenida Getúlio Vargas, 107, Funcionários,2526-5852 (140 lugares). 12h/15h e 18h/23h30 (sáb. 12h/16h e 19h/0h; dom. 12h/16h; fecha seg.). Aberto em 2012. $$$

Gero

O reconhecido restaurante chegou à capital no primeiro semestre de 2018 e mantém o requinte da grife Fasano. Fábio Jobim, chef da casa, é o responsável por comandar a equipe da cozinha, que prepara pedidas como o stinco de cordeiro ladeado por talharim na manteiga de sálvia (R$ 102,00) e o filé-mignon grelhado ao molho de vinho do Porto com trufas negras, foie gras, aspargos e batata (R$ 146,00), que podem ser antecedidos pelo tartare de atum com tomate-cereja e aspargo (R$ 64,00). Durante o almoço, o menu completo (R$ 89,00) pode incluir carpaccio com rúcula e parmesão, rabada com talharim na manteiga e pudim de leite. Da extensa carta de vinhos, o prosecco Millesimato, da região de Vêneto e safra de 2017, custa R$ 320,00. Rua São Paulo, 2320, Lourdes,3500-8900 (100 lugares). 12h/15h e 19h/0h (sex. jantar até 1h; sáb. sem intervalo 12h/1h; dom. almoço até 17h). Aberto em 2018. $$$$

Il Limoncello

Sugestões inspiradas na Itália, país natal do chef Pino Quaglia, são o destaque do cardápio. Pratos como talharim com ragu de cordeiro (R$ 120,00) e espaguete com lagostins (R$ 130,00 cada um) satisfazem até duas pessoas. O tradicional tiramisu pode finalizar a refeição (R$ 20,00). Da carta de vinho com cinquenta rótulos sobressai o tinto italiano Sangiovese, da região da Toscana (R$ 140,00). Rua Bernardo Guimarães, 577, Funcionários,3225-3628 (60 lugares). 19h/23h30 (fecha dom.). Aberto em 2014. $$

O Italiano

Com dois mil metros quadrados de extensão, o moderno restaurante possui diversos ambientes e uma área verde. Os clientes espalham-se pelo local para provar o ovo caipira pochê com linguiça e funghi de entrada (R$ 35,00). As massas são de produção própria e, entre elas, ganha destaque a lasanha com fonduta de queijo e filé-mignon ao forno (R$ 59,00). Mais de setenta rótulos integram a carta de vinhos, a exemplo do italiano tinto Palagetto Chianti dei Colli Sensei 2015 (R$ 143,00). Rua São Vicente, 155, Olhos D’água,3288-3052 (280 lugares). 12h/0h (seg. a qui. a partir de 18h30; sex. e sáb. 12h/16h30 e 19h/0h; dom. sem intervalo até 19h). Aberto em 2018. $$$

Osteria Mattiazzi

Para dar início à refeição, uma das sugestões é o carpaccio de wagyu acompanhado de pães da casa (R$ 38,00, para duas pessoas). Na sequência, o tagliatelle com tinta de lula vem à mesa valorizado por molho de tomate e frutos do mar (R$ 76,00). A mesma massa pode ser preparada na manteiga de ervas e acompanhada de filé-mignon grelhado ao molho de vinho tinto (R$ 72,00). O vinho tinto italiano primitivo Torre Galasso, da região de Puglia, safra 2018, tem boa saída (R$ 110,00). Rua Soledade, 26, Santa Efigênia,3481-1658 (100 lugares). 19h/0h (sex. até 0h30; sáb. 12h/16h e 19h/0h30; dom. só almoço 12h/16h; fecha seg.). Aberto em 1998. $$$

Maurizio Gallo

Sob o comando do chef italiano Maurizio Gallo, a equipe da cozinha despacha para o salão pratos como o espaguete preparado dentro de uma peça de parmesão, flambado na frente do cliente e finalizado com molho à matriciana. Acompanhada por um bife ancho, a pedida custa R$ 89,90 e pode ser seguida da panacota (R$ 22,00) para adoçar. Um menu completo valoriza as trufas negras: reúne um ovo com creme de trufa na entrada, fettuccine com trufa na etapa principal e panacota com mel trufado como sobremesa (R$ 109,00). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 860, São Pedro,2555-5432 (45 lugares); Rua dos Aimorés, 2305, Lourdes, 2514-3020 (80 lugares). 8h/23h30 (dom. até 17h; seg. até 16h20). Aberto em 2008. $$$

Provincia di Salerno

O ambiente intimista do restaurante já é conhecido pelo público, que vai à casa atrás das receitas italianas executadas pelo chef Rafael Caldeira. O arancini recheado com mussarela (R$ 24,00, seis unidades) abre os trabalhos. Uma das novidades do cardápio, a lasanha de rabada e fonduta de queijo grana padano pode vir na sequência (R$ 58,00). Mais de 100 rótulos de vinho constam da carta, a exemplo do italiano tinto Barbera d’Asti Vitis, da região do Piemonte (R$ 129,00). Rua Maranhão, 18, Santa Efigênia,3241-2205 (100 lugares). 12h/15h e 19h/0h30 (sáb. almoço até 16h; dom. só almoço até 17h; fecha seg.). Aberto em 1983. $$$

Speciali Trattoria

Com cardápio reformulado, a cozinha passou a preparar outros pratos além das pizzas. Para abrir o apetite, a porção de polpettine de angus vem à mesa com pomodoro picante (R$ 25,70, seis unidades). Na etapa principal, o filé-mignon guarnecido de cogumelo portobello e risoto pomodoro (R$ 68,70) divide atenções com o espaguete carbonara (R$ 48,90). Algumas redondas permanecem no menu, é o caso da anglio nero, com molho de tomate, queijo brie, alho negro, tomate pelati e rúcula (R$ 68,50 com seis fatias). Para arrematar sem abrir mão do acento italiano, faz sucesso o tiramisu (R$ 18,20). Rua Fernandes Tourinho, 805, Lourdes,3284-7060 (110 lugares). 12h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. 12h/23h). Aberto em 2002. $$

Tartuferia San Paolo

A primeira unidade da rede paulistana em Minas Gerais abriu as portas em junho de 2019, no segundo andar do Boulevard Shopping. Assim como em outros endereços da marca, as trufas são o foco da casa e aparecem da entrada às sobremesas. Uma das sugestões para abrir o apetite é o queijo brie empanado com mel de trufas brancas e torradas (R$ 47,00). Na etapa principal, tem boa saída o polvo grelhado com purê ou legumes e alho negro com trufas brancas (R$ 120,00). O chocolamour, que combina sorvete de mascarpone com trufas brancas e brigadeiro com trufas negras (R$ 30,00) pode arrematar a refeição. Boulevard Shopping,3566-3561 (100 lugares). 11h30/22h (dom. 12h/20h). Aberto em 2019. $$$

Vecchio Sogno

Consagrado endereço dedicado à culinária italiana na capital mineira, o restaurante oferece pratos que resistem ao tempo, como a polenta ao forno com ovo e molho de três funghis (R$ 57,00), servida como entrada. Para a etapa principal, os camarões flambados vem à mesa com ravióli negro, feito com tinta de lula (R$ 124,00). Sobremesa típica italiana, o tiramisu tem bastante saída (R$ 29,00). A carta de drinques traz, por exemplo, o del vecchio, um gim-tônica com frutas vermelhas e limão-siciliano (R$ 29,50). Rua Martim de Carvalho, 75, Santo Agostinho,3292-5251 (180 lugares). 12h/0h (sex. até 1h; sáb. só jantar 18h/1h; dom. só almoço até 18h). Aberto em 1995. $$$$

PORTUGUESES

Caravela

Instalado no Museu Histórico Abílio Barreto, o restaurante do português Cristóvão Laruça valoriza receitas típicas do país de origem do proprietário. O clássico bacalhau à lagareiro é um lombo do pescado confitado e acompanhado de batatas ao murro e vinagrete de salsa e cebola caramelada (R$ 85,00). Incorporado recentemente ao menu, o arroz de mariscos leva camarão, lula, polvo, tamboril e mexilhão (R$ 85,00). Para acompanhar, a carta de vinhos reúne 160 rótulos portugueses, além de espumantes brasileiros. Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim,2531-3101 (56 lugares). 11h30/14h30 e 19h/23h30 (ter. só almoço; sex. almoço até 16h; sáb. 12h/16h30 e 19h/23h30; dom. só almoço 12h/16h30; fecha seg.). Aberto em 2014. $$$

Taberna Baltazar

A casa é comandada pela portuguesa Teresinha Baltazar e sua família. Para petiscar, o bolinho de bacalhau (R$ 33,00, dez unidades) divide as atenções dos clientes com a sardinha frita ao molho escabeche (R$ 46,00). Entre os pratos, a preferência do público recai sobre o bacalhau à lagareiro, uma posta de 400 gramas do pescado com batata, cebola, azeite e brócolis (R$ 227,00, para duas pessoas). Para sobremesa, os tradicionais doces conventuais, a exemplo do pastel de nata e da queijadinha saem a R$ 11,00 cada um. Rua Oriente, 571, Serra,3221-7361 (120 lugares). 16h/1h (sáb. e feriados a partir de 12h; dom. 12h/18h). Aberto em 1991. $$$