Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A carta de cervejas do Café Viena Bier é eleita a melhor de Belo Horizonte

Título foi conferido pelo júri de VEJA COMER & BEBER 2019

Basta observar as geladeiras abarrotadas de latas e garrafas para entender qual a vocação do lugar. A melhor carta de cervejas da cidade, segundo o júri, tem a assinatura de Wellerson Paulinelli, proprietário do negócio ao lado de sua mulher, Ingrid Chlad Paulinelli. O sommelier Guilherme Chlad Paulinelli, filho do casal, ajuda na curadoria, que soma 1 250 opções e contempla rótulos consagrados, como a russa Baltika Export (R$ 49,90, 900 mililitros) e a linha completa da grife belga Delirium (R$ 38,90 cada garrafa com 330 mililitros). A seleção, contudo, vem dando cada vez mais espaço às sugestões brasileiras, caso da Falke Villa Rica (R$ 29,90, 600 mililitros), uma dry stout mineira. Impressa em letras miúdas, a vasta carta pode ser difícil de decifrar, mas os garçons auxiliam na escolha e também indicam as novidades mais recentes. Há ainda uma oferta rotativa engatada nas nove torneiras de chope — o pilsen de marca própria (R$ 7,90, 300 mililitros) tem presença garantida. Entre um gole e outro, os clientes provam pratos e petiscos de acento germânico, caso do mix com cinco tipos de salsichão (R$ 59,90, para duas pessoas) e do eisbein à pururuca (R$ 64,90, para duas pessoas). As pedidas chegam à mesa ao lado de salada de batata, chucrute ou batata cozida, e combinam bem com a cerveja da casa, uma viena lager produzida em parceria com a Krug (R$ 18,90, 600 mililitros). Avenida do Contorno, 3968, Funcionários,3221-9555 (250 lugares). 10h/1h (sex. e sáb. até 2h; fecha dom.). Aberto em 1999.

2º lugar: Protótipo
Os clientes aproveitam as mesas dispostas ao ar livre para provar alguns dos mais de 100 rótulos presentes na carta de cervejas, elaborada pelos sommeliers Lucas Zacharias e Ângelo Gabriel. Um deles é a Santê, uma IPA de produção própria (R$ 29,00; 473 mililitros). Além deles, há dezoito torneiras de chope, de onde saem variedades como o pilsen (R$ 8,00, 300 mililitros). A equipe da cozinha prepara porções como a de pastel de ragu de lagarto preparado na cerveja stout com requeijão e geleia de pimenta (R$ 38,00, oito unidades). Rua Professor Galba Veloso, 206, 2º piso, Santa Tereza,3566-0396 (200 lugares). 18h/23h30 (sex. até 0h30; sáb. 16h/0h30; dom. 16h/22h30). Aberto em 2016.

3º lugar: Templo Cervejeiro Backer
Além das cervejas da Backer, o local passou a fabricar destilados, como o gim Lebbos. Ele compõe o drinque que leva ainda ginger ale, suco de limão-siciliano, xarope de açúcar e hortelã (R$ 27,00). A cerveja, porém, segue com status de estrela da casa: a oferta inclui 26 chopes, desde o tradicional pilsen (R$ 9,70, 300 mililitros) até o Reserva do Proprietário, do tipo old ale (R$ 45,00, 400 mililitros). Para comer, a cozinha prepara o joelho de porco defumado e pururucado, servido com batata, chimichurri e salada de repolho (R$ 82,00, para três pessoas). Rua Santa Rita, 220, Olhos d’Água,3288-3068 (380 lugares). 11h30/15h e 18h/0h (ter. só almoço; sex. e sáb. sem intervalo até 1h; dom. até 16h; fecha seg.). Aberto em 2014.