Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Yao nega ser mentor de Lin e projeta jovem no All-Star Game

O chinês Yao Ming conhece Jeremy Lin, filho de pais taiwaneses, desde o verão de 2010 e costuma manter contato com ele, mas nega categoricamente qualquer influência no sucesso repentino do armador do New York Knicks. De Xangai, o ex-jogador do Houston Rockets torce pelo jovem e projeta sua presença no All-Star Game da NBA.

‘Por favor, não deixe ninguém pensar que o Yao ensinou-lhe algum segredo de como jogar’, afirmou Ming em entrevista ao site oficial da NBA. ‘Primeiramente, o Jeremy não precisa da minha ajuda. Ele é muito talentoso. Eu sou alto e não poderia ensiná-lo a ser um armador’, declarou.

Um dos precursores do mercado chinês para a NBA, Ming participou de oito edições do Jogo das Estrelas devido à sua significativa popularidade. No auge, ele protagonizou a chamada ‘Yaomania’, algo semelhante ao fenômeno batizado pela imprensa norte-americana de ‘Linsanity’.

‘Se ele continuar jogando assim, poderia ser um All-Star, você não concorda?’, questiona o ex-jogador. ‘Neste momento, ele está lidando com tudo perfeitamente, com o jogo e com a atenção que está recebendo’, acrescentou o chinês, atualmente com 31 anos de idade.

Enquanto a maioria esmagadora dos atletas vem de instituições mais conhecidas pelo esporte que pelo ensino, Jeremy Shu-How Lin, 23 anos, é o primeiro atleta formado na respeitada Universidade de Harvard a alcançar a NBA desde 1954. Escalado como titular pela primeira vez no último dia 4 de fevereiro, ele virou sensação da NBA.

‘Os fãs aqui na China estão muito empolgados. Ele é notícia em todos os lugares. Ele não foi draftado, assinou um contrato mínimo, no primeiro ano quase não jogou. Então, recebe uma chance e em uma noite conquista Nova York’, afirmou o gigante de 2,30m, que atribuiu o sucesso do jovem a seu porte físico.

‘O Lin mede 1,91m, é mais do tamanho de uma pessoa normal. Eu acredito que é isso que faz dele ainda mais popular na China. Ele tem um tamanho que a média das pessoas pode se relacionar. Eles gostam de vê-lo jogar contra jogadores mais altos e se dar bem’, explicou.

Aposentado em função de uma série de lesões, Ming é proprietário do Xangai Sharks e frequenta a Jiaotong University para estudar história, economia e administração. Em novembro, ele lançou um selo de vinhos e, no mês de janeiro, entrou na política local. De longe, o gigante espera que o sucesso de Lin desenvolva o basquete na Ásia.

‘Eu sei que o Jeremy nasceu na Califórnia e temos histórias muito diferentes, mas sinto que nós dois somos chineses e estou feliz que um armador como ele possa ter saído do nada para fazer esse grande efeito na NBA. Espero que seja o próximo passo para nós’, encerrou Ming.