Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

X-Games trazem o seu plano de expansão global ao Brasil

Evento pioneiro em Foz do Iguaçu conta com Travis Pastrana e Bob Burnquist

Espera-se um total de 60.000 pessoas acompanhando o evento em Foz, com 40% desse público vindo de fora da cidade

Os X-Games querem conquistar o mundo. Considerada o maior evento de esportes de ação do planeta, a “Olimpíada radical” criada pela rede americana ESPN inicia nesta quinta-feira um ambicioso plano de expansão internacional. Anunciada em 2011 pelos organizadores, a estratégia consiste na realização de etapas fora dos Estados Unidos para fortalecer a marca como uma competição verdadeiramente global. A primeira edição na América do Sul acontece justamente no Brasil. A cidade escolhida foi Foz do Iguaçu, no Paraná. Durante quatro dias, os principais nomes de quatro modalidades radicais – skate, BMX, moto-X e rali – estarão no país para apresentar suas manobras em quinze modalidades diferentes. Além disso, uma competição on-line revelará o melhor vídeo de surfe, com participação do brasileiro Gabriel Medina, que já está na final, contra Jordy Smith.

Leia também:

Surfe tenta virar esporte olímpico com ajuda de Aldo Rebelo

X-Games: Piquet vai encarar Travis Pastrana em rali cross

Para promover o evento e mostrar a força das modalidades radicais, a organização dos X-Games garantiu nomes conhecidos. Entre os estrangeiros, os principais astros são Travis Pastrana e Ken Block. Multicampeão com as motos, Pastrana vem se dedicando apenas ao rali cross desde 2011. Ken Block deve mostrar aos brasileiros as manobras radicais que só ele é capaz de fazer com um carro. Seu estilo ousado de pilotagem costuma atrair milhões de visualizações no YouTube, onde é campeão de audiência. Entre os atletas do Brasil, os destaques são Bob Burnquist e Pedro Barros. Um dos criadores da mega rampa, Burnquist já soma 22 medalhas na história dos X-Games – ele é um dos quatro atletas que estiveram em todos os torneios. Barros é muito mais novo, 18 anos, mas ainda assim aparece como um dos favoritos entre os competidores da nova geração. Ele já ganhou torneio internacionais importantes, como o ouro nos X-Games de Los Angeles-2012, na categoria skate park.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

A expectativa de Foz é de receber turistas de várias cidades do Brasil e até de outros países. Os moradores da própria cidade estão gostando do clima que cerca o evento. “Podemos sentir a energia e o envolvimento de todos os moradores, bem como das autoridades locais, que abraçaram a ideia do evento não só pela visibilidade que ele proporciona, mas principalmente pelo movimento na economia e no comércio da cidade”, disse Guilherme Cozza, diretor de marketing da empresa que organiza o evento. Serão cerca de mil profissionais trabalhando diretamente para que os X-Games Foz do Iguaçu sejam um sucesso. Além disso, mais de 300 estudantes universitários da região foram recrutados para atuarem como voluntários. Espera-se um total de 60.000 pessoas acompanhando o evento, com 40% desse público vindo de fora da cidade.