Waldemar diz que sai do Náutico com sensação de dever cumprido

Por Da Redação - 9 abr 2012, 11h16

Demitido no último sábado, após uma sequência de três derrotas consecutivas, o técnico Waldemar Lemos, participante da campanha que deu ao Timbu a vaga na Série A do Brasileirão deste ano, disse sair do clube pernambucano com a sensação de dever cumprido.

Apoiado por parte dos torcedores na internet, o ex-treinador da equipe alvirrubra lamentou o fato de não terem entendido sua proposta no clube. ‘Ao longo do ano passado, talvez algumas pessoas não tenham entendido a nossa filosofia, o nosso trabalho. O que importa, agora, é o resultado, né? E não o futuro. Mas eu cumpri meu dever’, resigna-se o treinador, em entrevista para o Diário de Pernambuco.

Em sua carreira, Waldemar passou por duas vezes pelo Náutico, com um retrospecto de 28 vitórias, 18 empates e 14 derrotas. Mesmo com sua renovação no início do ano sendo tratada como prioridade, o comandante não resistiu aos seis jogos sem vitória do time, com o qual tinha vínculo até o final de 2012.

Com 35 pontos, o Náutico é o quarto colocado do Pernambucano, único do G-4 ainda não assegurado na próxima fase do Pernambucano. Para isso, o time não pode tropeçar diante do Central, em Caruaru, já que o Petrolina, quinto colocado, tem apenas dois pontos menos.

Publicidade

Ainda sem futuro definido, Waldemar negou que estaria próximo de acerto com o Vitória, clube que recentemente demitiu Toninho Cerezo. Adaptado a Recife, o treinador não excluiu a possibilidade de retornar à cidade para trabalhar. O próprio Náutico é lembrado pelo treinador, porém, com ressalvas.

‘Ao Náutico, eu gostaria de voltar com Berilloe Alexandre’, encerrou.

Publicidade