Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Wada estuda realizar exames antidoping em fios de cabelo

<p>Novo presidente da Agência Mundial Antidoping, Craig Reedie, diz que entidade terá fundo de 10 milhões de dólares para desenvolver novas tecnologias</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 20h42 - Publicado em 1 jan 2014, 16h24

Fios de cabelo podem ser usado para descobrir o consumo de substância dopantes por atletas. Essa é a aposta do novo presidente da Wada (Agência Mundial Antidoping), Craig Reedie, ex-presidente da Associação Olímpica Britânica, que assumiu o cargo nesta quarta-feira, no primeiro dia de 2014.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, ele contou que a Wada terá um fundo de 10 milhões de dólares para o desenvolvimento de novas tecnologias no combate ao doping no esporte. E que os exames em fios de cabelo é uma das linhas estudadas.

“Esse fundo, disponilbilizado pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), é uma tremenda oportunidade para avançarmos no combate ao doping. Nossos cientistas estão olhando alternativas para identificar substâncias banidas”, comentou Reedie, que tem o título de Sir da coroa britânica.

“Nós testamos em amostras de sangue e de urina, mas agora estamos pesquisando outras alternativas, como por que não usar fios de cabelo? Essa é uma pesquisa realmente interessante e significa que nós olhamos para novas abordagens que no passado eram consideradas extravagantes”, destacou ele.

Reedie reforçou que confia na possibilidade de transportar para a Suíça todos os exames feitos durante a Copa do Mundo no Brasil, uma vez que o país não tem mais laboratório credenciado. Ele ainda disse estar seguro do trabalho que será realizado pela Wada nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia.

Leia também:

Todos os jogadores do Mundial fizeram exame antidoping UFC: flagrado no antidoping, Pezão culpa médico no Brasil

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade