Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Volta de Bolívar ao time do Inter depende somente do jogador

Por Da Redação 8 set 2011, 10h33

O retorno de Bolívar ao time do Inter pode ser mais rápido do que o imaginado. Em uma mistura de deficiência técnica e vontade pessoal, o zagueiro pediu para ser afastado da equipe na terça-feira. A solicitação foi aceita pelo técnico Dorival Júnior, mas a lesão muscular de Rodrigo Moledo na vitória por 4 a 2 sobre o América-MG deverá ser um catalisador para a volta do capitão.

As constantes falhas do jogador geraram críticas massivas por parte da torcida e da imprensa. Incomodado com os comentários e com a pressão sobre seu nome, Bolívar preferiu sair um pouco de foco e decidiu ficar algumas partidas fora.Com Índio suspenso por mais um jogo e sem Moledo, Dorival teria de utilizar Dalton para enfrentar o Palmeiras. Porém o jovem defensor sequer ficou no banco de reservas na quarta-feira. Quando Moledo se lesionou no segundo tempo, Bolatti precisou ser improvisado na zaga.

O técnico deixou a decisão nas mãos do zagueiro e capitão de muitas conquistas. ‘Vou deixar a critério do atleta. A partir do momento em que ele se sinta confiante, ele voltará normalmente. Foi um momento conturbado. O atleta é cobrado e por isso tem que estar emocionalmente equilibrado. Do contrário temos o Romário e o Dalton que estão aptos a assumir titularidade’, explicou o treinador.

Uma das lideranças do grupo colorado, Bolívar recebeu suporte de seus companheiros e não deixou de exercer seu papel perante o grupo. Antes do jogo contra os mineiros, o bicampeão da América almoçou com o elenco na concentração.

Herdeiro da braçadeira, Kleber mostrou total apoio com seu parceiro de defesa, atacando quem criticou seu colega de time.

‘É um companheiro, é nosso capitão. Ficamos tristes com o que aconteceu. Não pode só um jogador levar a culpa. Todos têm a sua parcela de culpa. Pegaram pesado com o Bolívar. Tem que pensar um pouco naquilo que se fala. Ele se dedica ao máximo pelo inter. Ele vai recuperar a autoestima e sabe que não há desconfiança do grupo com ele’, garantiu o lateral.

Continua após a publicidade
Publicidade