Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Volta à seleção anima Kaká: ‘Posso acrescentar muito’

Meia de 32 anos retorna à equipe depois de um ano e meio. Ele acredita que sua experiência pode ser importante na formação do grupo de Dunga

Por Da Redação 3 out 2014, 14h53

O meio-campista Kaká, do São Paulo, não escondeu sua satisfação por ter sido novamente chamado para a seleção brasileira nesta sexta-feira. Sempre com um sorriso no rosto, o jogador de 32 anos agradeceu ao clube paulista pela recuperação em sua carreira e disse que ainda pode contribuir bastante para a equipe de Dunga, que enfrenta Argentina e Japão, na Ásia, nos dias 11 e 14. “É uma alegria e uma felicidade imensa. Recebi essa convocação de uma forma muito especial, depois de passar longo período sem ser convocado. Vou ter de novo esse privilégio, é o reconhecimento do meu trabalho, uma grande conquista. Posso acrescentar muito e ajudar nesse momento de transição”, afimou Kaká, no centro de treinamento do clube.

Leia também:

Dunga convoca Kaká de última hora. E São Paulo reclama

Novo corte na seleção: sai Marquinhos, entra Juan

Ramires é cortado e Dunga convoca Souza, do São Paulo

Mário? Que Mário? Del Nero desconhece novatos do Brasil

Continua após a publicidade

CBF atrapalha 11 partidas no Brasil – mas Dunga bate o pé

Kaká estava radiante com a nova convocação e mostrou-se até emocionado por poder contar a novidade para o filho Luca, de 6 anos. “Ele curtiu muito o período de Copa, quando eu falar com ele que voltei para a seleção será uma alegria grande para dividir com meus familiares. Não vejo a hora de comentar com ele, que vai perguntar com quem vou dividir o quarto, com quem estarei no ônibus. Posso dizer que é motivação extra”, afirmou o meia, que ficou de fora da lista de Luiz Felipe Scolari para o Mundial.

Leia também:

‘Quero fazer parte da história do futebol nos EUA’, diz Kaká

Kaká relembrou sua última convocação, para os amistosos contra Rússia e Itália, em março de 2013, e se disse animado em novamente fazer parte do grupo. “Eu vou para essa convocação como fui para a última. Na minha primeira volta à seleção, ainda com o Mano Menezes, vi que minha responsabilidade na equipe era outra. Antes, eu era o jogador novo que admirava os mais experientes. Agora chego em outras condições.” Kaká, no entanto, acredita que sua experiência não lhe garantirá uma posição na equipe de Dunga. “Não sei se vou jogar, a concorrência é muito grande. Vou fazer de tudo para poder jogar, mas sempre respeitando a decisão do treinador.”

Como “homenagem” pelo chamado, Kaká recebeu uma ovada de seus colegas de clube após o treinamento. Animado, ele enfrentará o Grêmio neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro, e no dia seguinte viaja com o grupo para a Ásia. A seleção brasileira enfrentará a Argentina, no próximo dia 11, em Pequim, pelo Superclássico das Américas, e o Japão, no dia 14, em Cingapura.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade