Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Volt, o carro elétrico da GM

VEJA foi a Detroit, capital da indústria automotiva americana, para testar a aposta da General Motors para o futuro dos automóveis

De todas as opções de combustível limpo para automóveis sendo testadas, até o momento a mais “real” é a eletricidade. Duas das maiores montadoras do mundo, Nissan e General Motors, começam a vender seus modelos – Leaf e Volt, respectivamente -, no início de novembro nos Estados Unidos. O carro movido a bateria não emite som, não tem escapamento e reserva algumas surpresas ao ser conduzido. Como o planeta deve ser regido mesmo por novas fontes de energia automotiva, VEJA esteve em Detroit para acompanhar o lançamento do Volt e testou, com exclusividade, o novo modelo pelas ruas e estradas da cidade.

O carro é macio, silencioso, dá uma estranha sensação nos primeiros minutos – parece que não está “ligado”- mas funciona bem. O motor é rápido, responde imediatamente às aceleradas, tem boa dirigibilidade e é controlado quase que totalmente por chips. E, se você acha que é difícil usar todas as funções de um smartphone, então, prepare-se para o Volt. Para tirar proveito do que o carro oferece é preciso abusar das programações no computador de bordo. Descubra mais detalhes do novo carro da GM no vídeo:

 

A montadora adotou uma opção para que o carro não deixe o motorista na mão em longos trajetos – a bateria tem autonomia somente para 80 quilômetros: o Volt tem um “modo de autonomia estendida”, em que um motor a gasolina entra em funcionamento quando a bateria acaba e gera energia para o motor elétrico funcionar por mais 500 quilômetros. O princípio é o mesmo dos geradores usados em edifícios que fazem funcionar luzes e elevadores, quando a eletricidade acaba. Acesse o infográfico para saber mais sobre o funcionamento do carro:

Volt, GM, General Motors, carro elétrico, Detroit, test-drive, exclusivo

O Volt custa 41.000 dólares, mas tem incentivo federal de 7 500 dólares, então, seu preço final será cerca de 59 000 reais. No Brasil, com impostos e frete, o novo modelo saíria por volta de 150 000 reais, motivo para a GM descartar, pelo menos por enquanto, a importação do veículo.