Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vôlei: Fofão se despede das quadras aos 45 anos

Campeã olímpica reuniu ex-companheiras em uma partida de exibição em São Caetano

Por Da Redação - 25 maio 2015, 10h33

A levantadora Fofão se aposentou do vôlei oficialmente, aos 45 anos, em uma partida de despedida, no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul, neste domingo. Dona de três medalhas olímpicas, ela promoveu um jogo de exibição entre suas amigas e a base da seleção brasileira de 2008 – ano em que Fofão conquistou o ouro olímpico em Pequim. A equipe Amigas de Fofão venceu o amistoso por 2 sets a 0, com parciais de 25/21 e 25/17.

Fofão jogou um set em cada equipe e, já com lágrimas nos olhos, marcou o último ponto da partida com um ace, antes de ser abraçada por todas as companheiras. “Não vai ter um dia na minha vida que não vou me lembrar dessa festa. É mais do que um sonho, estou muito feliz. Espero que sintam falta de mim. Foram 30 anos que fiz em quadra o que sabia de melhor. Quero que a imagem que as pessoas tenham de mim seja jogando um voleibol de alto nível técnico, alegre e fazendo o que gosto”, disse a ex-atleta.

Leia também:

Vôlei: seleção feminina é convocada. Sheilla e Fabiana ficam fora

Continua após a publicidade

CBV volta atrás e Brasil receberá a Liga Mundial de Vôlei

Rio-2016: vôlei é o esporte mais procurado na 1ª semana de vendas

Rio-2016: projeção coloca Brasil na 8ª posição do quadro de medalhas

Responsável por mudar Fofão de posição de ponteira para levantadora, o técnico José Roberto Guimarães se emocionou em diversos momentos da partida e comentou sobre a importância da jogadora. “Conheci a Fofão garota e atacante, depois ela virou levantadora e um ícone mundial. Só tenho a agradecer por ter tido a possibilidade de ter feito parte da vida dela. Espero que ela continue dentro do voleibol, porque a Fofão tem muita coisa para passar e ensinar para as novas gerações.”

Continua após a publicidade

Fofão se aposentou oficialmente no Campeonato Mundial de clubes feminino, em que o Rexona-Ades Rio de Janeiro ficou com a quarta colocação, no início do mês. Sua última partida oficial foi uma derrota para o Volero Zurique, na Suíça. No país, ela deixou as quadras com o título da Superliga de sua equipe sobre o Molico/Nestlé Osasco.

Fofão conquistou três medalhas olímpicas com a seleção brasileira: bronze em Atlanta-1996 e Sydney-2000 e ouro em Pequim-2008. Após o título na China, deixou a equipe nacional após 17 anos. Ela deve assumir agora um cargo na comissão técnica da seleção, a convite de José Roberto Guimarães.

Fofão, do Rexona/Ades (Rio de Janeiro), em partida contra o Molico/Nestlé (Osasco), válida pela final da Superliga Feminina de Vôlei
Fofão, do Rexona/Ades (Rio de Janeiro), em partida contra o Molico/Nestlé (Osasco), válida pela final da Superliga Feminina de Vôlei VEJA

(com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)

Publicidade