Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vexame na Bahia segue atormentando e instiga São Paulo a retomar rumo

Por Da Redação 10 nov 2011, 15h04

Emerson Leão não deixou que os jogadores do São Paulo esquecessem do que fizeram no último fim de semana, na derrota por 4 a 3 para o Bahia. O técnico deu bronca, exibiu o vídeo do jogo e, baseado nos erros cometidos, tem ajustado o time nos treinos desta semana. O duelo contra o Avaí, no sábado, é encarado como o primeiro passo para que as más lembranças sejam apagadas.

‘Nunca tinha acontecido comigo, estar vencendo por 3 a 1 e tomar uma virada. Não queria que acontecesse, mas aconteceu, é jogo’, lembrou o zagueiro Rhodolfo, que não foi o único a lembrar dessa partida em entrevistas. ‘Individualmente, estou satisfeito. Joguei bem e isso é bom para o meu ego, mas preferia ter jogado mal e conquistado a vitória’, lamentou Lucas.Os atletas estão confiantes de que a insistência do técnico em citar os equívocos vai ajudá-los a apararem as arestas. ‘O Leão está certo. Nosso time está precisando de uns gritos para acordar e ele sabe quem precisa ouvir. Temos de vencer o próximo jogo, mas temos de lembrar que vai ser difícil. O Avaí vai vir com tudo porque precisa sair da zona do rebaixamento’, analisou Rhodolfo, que tem dificuldades para explicar o jejum de nove jogos no Brasileirão.

‘Eu também queria saber porque está acontecendo isso. Nossa equipe é boa, mas não estamos conseguindo mostrar dentro de campo. Quando o ataque faz gol, a defesa leva. Quando não leva, o ataque não faz. Está complicado achar o meio termo, mas está todo mundo muito unido para esses últimos cinco jogos’, acrescentou o camisa 4, reforçando discurso de Lucas.

‘É difícil explicar, não tem o que explicar. Acho que não tem um motivo que defina essa nossa fase’, apontou o camisa 7. ‘A gente está tentando, lutando, em todos os jogos o time entra com a mesma vontade e determinação e às vezes não acontece, o resultado não vem’.

Além do Avaí, o time do Morumbi recebe também América-MG e Santos. Fora de casa, os rivais serão Atlético-PR e Palmeiras. A intenção é conquistar os 15 pontos para garantir vaga na Libertadores do ano que vem, mas para isso será preciso ampliar a evolução que os são-paulinos dizem ter percebido contra o Bahia.

‘Muitas vezes a gente joga melhor, tem mais posse de bola, domina o jogo e a bola não entra. Aí o adversário chega na nossa área e faz o gol. O problema também é psicológico, mas estamos focados para essas cinco partidas’, garantiu Lucas.

Continua após a publicidade
Publicidade