Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vettel, o mais jovem bicampeão, pode superar Schumacher?

Se depender do currículo, sim: uma comparação entre os números do começo de carreira mostra Vettel na frente. Mas até quando ele vai ter um carro tão bom?

O alemão Sebastian Vettel venceu nove das quinze corridas deste ano e tornou-se bicampeão da Fórmula 1 no último domingo, mesmo chegando em terceiro lugar no GP do Japão. Faltando quatro provas para o encerramento desta temporada, Vettel se torna o piloto mais jovem a conquistar o bi, com 24 anos, três meses e seis dias. A trajetória vencedora, a ampla superioridade em relação aos rivais e outras coincidências – além, é claro, da nacionalidade – fazem Vettel ser constantemente comparado ao heptacampeão Michael Schumacher, que hoje corre pela Mercedes. Mas será que o sucessor de Schumi pode mesmo alcançar os mesmos números de seu ídolo? Se depender dos números conquistados no início de carreira, sim – Vettel tem algumas marcas até melhores que as de Schumacher (confira na tabela abaixo). Manter esse ritmo e quebrar as marcas do veterano, porém, não será nada fácil, principalmente num esporte que depende tanto do equipamento oferecido ao piloto a cada temporada.

Tabela
Vettel SchumI
Vitórias 19 18
GPs em 2º lugar 8 13
GPs em 3º lugar 6 9
Abandonos 15 24
Poles 26 11
Quantos GPs disputou até vencer sua primeira prova 22 18
Quantos GPs disputou até fazer a primeira pole position 22 42

Com o terceiro lugar deste domingo, Vettel chegou ao seu 77º GP na Fórmula 1 – o primeiro foi nos Estados Unidos, em 2007, quando ele terminou na oitava posição. O site de VEJA comparou os números dos dois pilotos alemães no mesmo estágio de suas carreiras – ou seja, quando ambos tinham 77 provas disputadas. Vettel tem uma vitória a mais que Schumacher, dezenove contra dezoito. Schumacher conseguiu subir mais vezes ao pódio, mas Vettel conseguiu ser muito mais regular: abandonou apenas 15 corridas, enquanto Schumacher bateu ou quebrou o carro em 24 GPs. O quesito em que Vettel demonstra maior superioridade é nas poles: largou na primeira fila 26 vezes, onze delas só nesta temporada. O número de poles de Vettel só em 2011 é o mesmo que Schumacher conseguiu em todas as suas 77 primeiras provas na Fórmula 1.

Vote na enquete: Vettel pode superar as marcas de Schumacher na F1?

O talento e a boa fase de Vettel, no entanto, não são as únicas razões para as temporadas bem sucedidas do bicampeão mundial. Segundo Luciano Burti, que já esteve na Fórmula 1 e hoje é comentarista da TV Globo, o carro passou a ser mais importante que o piloto na categoria. “O resultado positivo em uma corrida é aproximadamente 70% do carro e 30% do piloto. É óbvio que o Vettel é um excelente piloto, mas fica claro que ele tem o melhor carro do grid.” Burti faz vários elogios, mas questiona se o jovem bicampeão continuará com um desempenho tão superior ao dos rivais. Se as outras equipes conseguirem montar carros competitivos, a situação pode mudar radicalmente para Vettel.

Supremacia – A Red Bull disputou seu primeiro GP em 2005, na Austrália. Alguns anos depois, em 2009, a equipe terminou o mundial de pilotos em segundo lugar, com 135,5 pontos, atrás apenas da Brawn-Mercedes, com 172 pontos. Os pilotos Mark Webber e Sebastian Vettel terminaram a temporada, respectivamente, em quarto e segundo lugar. Em 2010, a equipe venceu nove de dezenove GPs, e Sebastian Vettel conquistou seu primeiro título, aos 23 anos, na última prova do calendário. Em 2011, o resultado é ainda melhor: o alemão já assegurou o título faltando quatro corridas.

Para Luciano Burti, essa ascensão tem explicação: a contratação do engenheiro Adrian Newey, no final de 2005. “Esse não é seu primeiro trabalho de sucesso. Adrian fez outros carros que se destacaram na Fórmula 1, como a Williams de 1992 e 1993 e a McLaren bicampeã em 1998 e 1999.” Apesar da escuderia austríaca deixar claro que não faz jogo de pilotos – teoricamente, os dois correm em igualdade de condições, com liberdade inclusive para disputar posição com os colegas -, Burti ressalta que Webber não oferece perigo ao alemão. “Vettel sempre foi o preferido da equipe, e tornou-se ainda mais depois que conquistou o primeiro título para a Red Bull, em 2010. Vettel está em uma situação perfeita: melhor carro do grid, toda atenção da equipe e um companheiro que não oferece risco.”

Leia também:

Vettel, o jovem bicampeão, leva ‘Kylie Safada’ como prêmio