Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vasco domina o São Paulo, vence e mantém 2º lugar

Por Demétrio Vecchioli

São Paulo – Depois de quatro vitórias seguidas, o São Paulo conheceu nesta noite a sua primeira derrota jogando no Morumbi no Brasileirão. E o resultado foi incontestável, uma vez que o time de Ney Franco esteve perdido em campo e só não foi goleado pelo Vasco nesta quarta-feira, pela 10.ª rodada, porque o time carioca não estava inspirado. A derrota de 1 a 0 acabou ficando barata.

No segundo jogo com Ney Franco e Rafael Tolói e sem Lucas, o São Paulo voltou a decepcionar. Contra o Palmeiras, domingo, ainda achou um gol e ficou no empate em 1 a 1. Nesta quarta, nem isso. Para piorar, Rodrigo Caio foi expulso de maneira juvenil. E o estreante João Schmidt, de 19 anos, decepcionou, saindo no intervalo.

O resultado é excelente para o Vasco, que não perde há quatro jogos. O time carioca segue como vice-líder, com 23 pontos, dois a menos que o Atlético-MG. O São Paulo despencou para o sétimo lugar, com 16 pontos, mais uma vez ameaçado pela crise.

O JOGO – Depois de uma estreia ruim, Ney Franco surpreendeu na escalação. Barrou Casemiro, seu titular absoluto no Sul-Americano e no Mundial Sub-20 do ano passado, e escalou João Felipe (agora chamado de João Schmidt) para o garoto, de 19 anos, da seleção sub-20, estrear como profissional.

E o novato viu o São Paulo começar mais perigoso. Aos 7 minutos, Jadson assistiu Luis Fabiano e o centroavante bateu rasteiro, para boa defesa de Fernando Prass. Dois minutos depois, Cícero invadiu a área pela esquerda e chutou forte. A bola desviou em Fagner e foi na trave.

O problema é que as chances do São Paulo pararam por aí. Desentrosados, Rafael Tolói e Rhodolfo erravam demais. Aos 12, Barbio cruzou e Diego Souza, livre, no meio da área, perdeu ótima chance.

Juninho também levou perigo em dois lances, em batidas cheias de curva. Numa, exigiu grande defesa de Denis. Em outra, carimbou o travessão. Quando a bola voltou, William Barbio, livre, se abaixou para tentar de cabeça e mandou a bola para fora.

A atuação ruim fez os poucos torcedores que encararam a noite fria no Morumbi vaiarem o time tricolor na saída para o vestiário. Vendo que as coisas não iam bem, Ney Franco sacou o estreante, pouco participativo, e colocou em campo o xará João Filipe, com o time passando à formação 3-5-2.

Mas mal deu tempo de testar o novo esquema. Aos 3 minutos, Fagner tabelou com Barbio, recebeu pela direita da área e chutou. A batida foi em cima de Denis, mas o goleiro não segurou. Era o primeiro gol do Vasco.

Esse, porém, não seria o maior erro do jogo. Precisando da vitória, Ney Franco tirou Cícero e colocou em campo o atacante Ademilson, em sua terceira substituição. Logo em seguida, Rodrigo Caio, que já tinha amarelo, colocou acintosamente a mão na bola, em um lance no meio campo, e acabou expulso.

Aí não tinha mais muito o que fazer. O São Paulo tinha em campo três zagueiros, três atacantes e apenas um meio-campista: o apagadíssimo Jadson. João Filipe ganhou liberdade, mas isso também não resolveu, apesar de o zagueiro se tornar o principal articulador da equipe. O melhor lance foi dele, numa assistência para Luis Fabiano, que tentou a cavadinha e mandou para fora.

Pelo lado do Vasco, restou garantir o resultado. Carlos Alberto entrou no lugar do estreante Wendel. Mas era Juninho o melhor do jogo. Aos 29, Denis se redimiu e salvou o São Paulo num chute do veterano. No último minuto, o goleiro também fez ótima defesa em chute forte de Barbio.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 X 1 VASCO

SÃO PAULO – Denis; Douglas, Rhodolfo, Rafael Toloi e Cortez; Rodrigo Caio, João Schmidt (João Filipe), Cícero (Ademilson) e Jadson; Osvaldo (Rafinha) e Luis Fabiano. Técnico – Ney Franco.

VASCO – Fernando Prass; Fagner, Dedé, Douglas e William Matheus; Nilton, Wendel (Carlos Alberto), Juninho Pernambucano e Diego Souza (Diego Rosa); William Barbio e Alecsandro. Técnico – Cristóvão Borges.

GOL – Fagner, aos 4 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS).

CARTÕES AMARELOS – Rhodolfo.

CARTÃO VERMELHO – Rodrigo Caio.

RENDA – R$ 306.364,00.

PÚBLICO – 10.247 pagantes.

LOCAL – Estádio do Morumbi, em São Paulo.