Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vasco bate Lanús nos pênaltis e garante duelo brasileiro nas quartas de final

Por Da Redação 10 Maio 2012, 00h33

Redação Central, 10 mai (EFE).- Nos pênaltis, o Vasco garantiu classificação para as quartas de final da Libertadores ao bater o Lanús, na Argentina, por 5 a 4, depois de perder no tempo normal por 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida em São Januário.

Nílton abriu o placar para o time brasileiro no primeiro tempo, mas na etapa final, o Vasco caiu de produção e sofreu a virada. Pavone e Gutiérrez marcaram os gols argentinos.

Na decisão por pênaltis, enquanto os brasileiros converteram todas as cobranças, Romero perdeu a segunda do Lanús, o que acabou decretando a classificação cruzmaltina.

Com a vaga assegurada, o Vasco se prepara para um duelo caseiro nas quartas de final, contra o atual campeão brasileiro, Corinthians.

Antes do jogo, as duas escalações geravam expectativas, já que o técnico do time argentino estudava uma escalação com três atacantes, que significaria a saída de Valeri, o jogador mais técnico do time. Mudança que não acabou acontecendo. Enquanto isso, no Vasco a espera era saber qual seria a alteração, já anunciada por Cristóvão.

Momentos antes do início da partida foi anunciado que o volante Nílton entraria no lugar do meia Felipe, confirmando a especulação de que o camisa 6 ou Juninho Pernambucano não começariam jogando. Com isso, os cariocas entrariam mais cautelosos em campo.

Assim, Lanús e Vasco começaram o jogo com muita briga e tentando jogar no erro do adversário. Os argentinos com as bolas alçadas nas costas do lateral Fágner, enquanto os cariocas buscando os contra-ataques.

Em 15 minutos, foram mais faltas do que lances de perigo para os dois lados, principalmente por parte dos donos da casa. Tanto que jogadores do Lanús receberam dois cartões no primeiro tempo, ao exagerar nas faltas cometidas. Tanta preocupação em dar pontapés acabaria sendo punida logo.

Aos 18, a zaga argentina se enrolou, Juninho Pernambucano pegou o rebote e ajeitou com carinho para Nílton soltar um foguete e abrir o placar para o Vasco. Após o gol, a equipe de Cristóvão Borges tomou conta do jogo e apesar do susto em uma chegada de Pavone, aos 25, era quem tomava a iniciativa da partida.

Por pouco, Fágner não ampliou o placar aos 31 minutos, depois de recuperar bola, fintar o zagueiro e finalizar muito mal, a esquerda do goleiro Marchesín. Apesar de ainda tomar pelo menos dois sustos, principalmente após bolas nas costas do próprio lateral-direito, o Vasco conseguiu levar a vantagem de 1 a 0 para o intervalo.

Na parada entre os dois tempos da partida, o herói dos primeiros 45 minutos, Nílton, precisou ser atendido devido a um corte no supercílio e foi obrigado a levar cinco pontos no local.

Continua após a publicidade

No segundo tempo, o time argentino veio para cima, com a entrada, enfim, de Gutiérrez, no lugar do meia Pizarro. E logo aos cinco minutos os argentinos bombardearam a meta do Vasco, com Araujo e Gutiérrez, que desperdiçaram duas chances na cara de Fernando Prass.

A pressão Lanús surtiu efeito aos 15 minutos, quando Pavone recebeu lindo passe na área de Valeri e no matada de bola tirou do goleiro cruzmaltino e chutou forte para empatar o jogo.

O gol fez Cristóvão Borges mudar a forma de o seu time jogar, promovendo a sua primeira mudança aos 23 minutos do segundo tempo, com Allan entrando no lugar de Diego Souza. Pressionado, o Vasco só voltou a ameaçar aos 31, quando Juninho cobrou falta venenosa e Marchesín defendeu.

Dois minutos depois, logo após outro lance perigoso do Vasco, o Lanús voltou a marcar e igualou o placar geral do duelo, quando Téo Gutiérrez aproveitou rebote de Fernando Prass e marcou o segundo dos argentinos.

Depois da virada, o Vasco passou 15 minutos sofrendo grande pressão do adversário. Já com os experientes Carlos Alberto e Felipe no lugar de Éder Luís e Nílton, o time carioca segurou o 2 a 1 e levou a decisão da vaga para as quartas de final nos pênaltis.

Nas cobranças, Felipe, Juninho, Carlos Alberto, Renato Silva e Alecsandro converteram suas cobranças. No Lanús, Romero perdeu a segunda cobrança, assim, os gols de Regueiro, Velázquez, Camoranesi e Fritzler não serviram para salvar a equipe.

Ficha técnica:.

Lanús: Marchesín; Araujo, Goltz, Braghieri e Velázquez; Fritzler, Camoranesi, Pizarro (Téo Gutiérrez) e Valeri (Romero); Pavone e Regueiro. Técnico: Gabriel Schurrer.

Vasco: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Nílton (Felipe), Rômulo, Juninho, Diego Souza (Allan), Eder Luís (Carlos Alberto) e Alecsandro. Técnico: Cristóvão Borges.

Arbitragem: Carlos Amarilla (Paraguai), auxiliado pelos seus compatriotas Dario Gaona e Hugo Marinez.

Cartões amarelos: Pizarro, Pavone, Braghieri e Fritzler (Lanús); Rodolfo e Fernando Prass (Vasco).

Gols: Pavone e Téo Gutiérrez (Lanús); Nílton (Vasco). EFE

Continua após a publicidade
Publicidade