Clique e assine a partir de 9,90/mês

Valcke afirma que estádio de Natal está atrasado e promete monitoramento

Por Da Redação - 19 jan 2012, 17h11

Rio de Janeiro, 19 jan (EFE).- O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou nesta quinta-feira que as obras do estádio de Natal, o mais atrasado, terá ‘monitoramento permanente’ da entidade.

‘Definitivamente há muito atraso no estádio de Natal. O monitoramente deste estádio será permanente para ter garantia que vai voltar no ritmo das obras e fazer parte da Copa do Mundo de 2014’, disse Valcke, em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, ao finalizar sua primeira visita ao Brasil.

O estádio de Natal, capital do Rio Grande do Norte, vai receber quatro partidas da primeira fase, entre elas um jogo do cabeça de chave do grupo D.

Apesar desta advertência, Valcke foi muito otimista com relação ao andamento das obras das 12 sedes da Copa do Mundo e confiou que todas vão ficar prontas a tempo.

Continua após a publicidade

O ex-jogador Ronaldo, membro do comitê organizador, acompanhou o secretário-geral e também se mostrou confiante com o prazo. ‘Vamos fazer uma excelente Copa do Mundo’, afirmou.

Valcke reiterou que a Fifa vai esperar até junho do ano que vem para decidir se acrescenta duas sedes a mais na organização da Copa das Confederações de 2013, que já está confirmada no Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza.

A Copa do Mundo terá jogos nessas quatro cidades e, além disso, em São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Natal, Manaus e Cuiabá.

São Paulo, embora não vá sediar os jogos da Copa das Confederações, organizará o sorteio deste torneio em dezembro, segundo anunciou nesta quinta-feira o comitê organizador.

Continua após a publicidade

O secretário-geral da Fifa também elogiou a quantidade de centros de treinamento que foram inscritos para acolher às seleções participantes da Copa do Mundo.

O comitê organizador recebeu 237 pedidos de inscrição e prevê assinar os contratos com os primeiros aprovados em março deste ano, coincidindo com a próxima visita dos inspetores da Fifa. EFE

Publicidade