Clique e assine com 88% de desconto

Vaiado, Neymar cita seu ‘currículo’ para se defender

'Seleção vencer e ser vaiada é coisa nova para mim', reclamou o camisa 11

Por Da Redação - 8 set 2012, 03h59

As vaias ao deixar o campo, em uma substituição aos 45 minutos do segundo tempo, e os gritos de “pipoqueiro” vindos das arquibancadas do Morumbi atingiram Neymar em cheio. O maior astro da seleção brasileira não conseguiu brilhar na vitória do Brasil por 1 a 0 contra a África do Sul e saiu do estádio magoado pela manifestação dos torcedores.

Leia mais: Mano lamenta vaias, mas insiste: ‘Estamos no caminho’

“Fiquei triste por todas as palavras, não sei se estão certos, mas meu currículo mostra o contrário”, contra-atacou o camisa 11 do Brasil. Neymar também criticou a falta de apoio dos torcedores e defendeu a pouco inspirada atuação da equipe brasileira. “Seleção vencer e ser vaiada é coisa nova para mim. Não sei se o público é exigente, sei que fizemos uma ótima partida e vencemos”, reclamou.

Rivais – A maioria das vaias ouvidas por Neymar aconteceu justamente quando ele foi substituído por Mano Menezes pelo volante Arouca, já nos minutos finais da partida. Para o volante Ramires, elas ocorreram porque o colega atua no Santos e jogou no estádio do São Paulo, diante de diversos torcedores rivais. “Aqui estamos todos para defender a seleção.”

Publicidade

Leia mais: A dois anos da Copa em casa, quanto a seleção precisa mudar?

Na entrevista coletiva após o jogo, o técnico Mano pediu à torcida “mais compreensão” e argumentou que o elenco do Brasil é jovem. “Confio muito na qualidade desses jogadores. Eles ainda não têm a rodagem de outros que estiveram na seleção no passado. Mas esse é o caminho que temos de percorrer”, afirmou.

(Com agência Estado)

Publicidade