Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vágner Mancini reclama de cobrança excessiva e pede paciência à torcida

Por Da Redação 8 fev 2012, 08h31

O técnico Vágner Mancini tem se mostrado surpreso com as cobranças após a estreia do Cruzeiro no Campeonato Mineiro. Segundo ele, a equipe fez apenas um jogo oficial e é necessário ter paciência com o time que vem sendo reformulado. O treinador ainda argumentou que não pode ir para a segunda rodada do Estadual com uma arma apontada para a cabeça.

‘O Cruzeiro passa por reestruturação administrativa, após mais de 15 anos. No elenco, também teve muita mudança. A cobrança está muito forte para o primeiro jogo do ano. Todos têm de saber que cobrança tem de ter limites, a gente não pode entrar para o segundo jogo do ano com uma arma apontada para cabeça’, declarou.

Para Mancini o Cruzeiro vive um momento difícil e precisa do apoio dos torcedores. O treinador deixa claro que tinha ciência que teria dificuldades na montagem do time, mas revela que o nível de exigência é grande e que é preciso de os pés no chão e dar um passo de cada vez.

‘Ninguém dá cinco, seis passos de uma vez só. Temos de ter pés no chão. A gente sabia que seria difícil, foi muito pior que esperávamos, mas estamos conscientes. A torcida tem de entender que o Cruzeiro vive momento diferente e até nos ajudar nisso’, frisou.

Por fim, Vágner Mancini fez questão defender o lateral Diego Renan, alvo principal dos torcedores na partida contra o Guarani. ‘Não admito que o estádio inteiro vaie o Diego Renan por algo que ele não fez de errado. Eu defendo o Cruzeiro, os atletas defendem o Cruzeiro. É muito importante nesse momento que a cobrança tenha limites’, afirmou.

Continua após a publicidade
Publicidade