Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Uma invenção da família Gracie

Por Davi Correia 15 dez 2010, 17h09

O Ultimate Fighting Championship – UFC foi fundado em Denver, Colorado, nos Estados Unidos em 1993 pelo brasileiro Rorion Gracie e o publicitário americano Arthur Davie. Gracie queria criar um campeonato para provar que o Jiu-Jitsu, adotado pela sua família, era a mais completa entre as artes marciais. Nos eventos de UFC, os atletas se enfrentavam várias vezes na mesma noite, até que apenas um fosse o grande campeão.

A ideia era mostrar a força do Jiu-Jitsu, por isso não havia categorias de peso e todas as artes marciais eram permitidas. Um lutador de sumô poderia enfrentar um atleta especialista em caratê. As regras eram precárias e as lutas não eram reconhecidas como esporte. Logo, o UFC tornou-se um campeonato de Artes Marciais Mistas (MMA), mistura de diversas lutas olímpicas.

Em 2001, os irmãos Frank e Lorenzo Fertitta, donos de uma rede de cassinos em Las Vegas, compraram o evento, estipularam 31 regras, e os atletas foram divididos em cinco categorias de acordo com o peso. Ficou estabelecido também que cada lutador participaria de apenas uma luta por noite.

Filho mais velho de Hélio Gracie, que popularizou o jiu-jitsu nos EUA nos anos 1950/60, Rorion é bacharel em direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e mora nos Estados Unidos desde 1978. Aos 58 anos tem vinte academias pelo mundo e continua dando aulas. Leia também: – UFC Rio será no dia 27 de agosto – Anderson Silva x Victor Belfort, a luta do século

– Ultimate fighting não é vale-tudo

– Os grandes ídolos do esporte

– Uma noite pode render até 70 milhões de reais

– O que é proibido nas lutas

– Glossário: para entender o que acontece numa luta

Continua após a publicidade

Publicidade