Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Um em cada 6 parlamentares quer ‘boquinha’ na abertura

Cerca de cem deputados e senadores pediram ingressos para Brasil x Japão

Deputados mais afoitos chegaram a pedir uma cota de quase cem ingressos para aliados e funcionários de gabinete prestigiarem o jogo de abertura

Ao contrário do cidadão comum, que teve de abrir a carteira e correr atrás de um ingresso para o jogo de abertura da Copa das Confederações, em Brasília, deputados e senadores utilizaram o conforto de seus gabinetes e a estrutura montada com dinheiro público para tentar formar uma verdadeira caravana para a partida entre Brasil e Japão, no próximo sábado. Os alvos preferenciais do assédio dos parlamentares são o relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Cândido (PT-SP), que acumula o cargo de vice-presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), e o lobista da CBF em Brasília, Vandenberg Machado. Nos últimos dias, Cândido e Vandenberg receberam pedidos dos gabinetes de cerca de 100 deputados e senadores. Ou seja, um em cada seis parlamentares tentou uma “boquinha” na abertura da competição.

Embora não tenham dado garantia inicial de ceder a quantidade de ingressos desejada pelos congressistas, a ideia é que todos sejam contemplados com pelo menos um par de bilhetes. No maior exemplo do estilo “vai que dá certo”, deputados mais afoitos chegaram a pedir uma cota de quase 100 ingressos para aliados e funcionários de gabinete prestigiarem o jogo de abertura. O líder do PT na Câmara, José Guimarães, pretende voar do Ceará a Brasília na madrugada de sábado só para assistir à estreia da seleção brasileira na capital federal.

Leia também:

A um ano da Copa, organização enfrenta crise e pressões

Chega de imaginar: a Copa de 2014 começa agora, no Rio

Os governos atrasaram as obras. E você vai pagar o pato

Na tentativa de evitar que sejam acusados de aproveitar o cargo para conseguir os ingressos, deputados optaram por pedir os bilhetes por meio do gabinete – sob o pretexto de distribuir a funcionários -, via lideranças parlamentares ou utilizando o fato de terem assento na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara. Presidido pelo deputado Romário (PSB-RJ), o colegiado encaminhou pedido para cerca de 250 tíquetes. “Os parlamentares perguntam como fazem para conseguir um ingresso, mas eu também não sei. Se eu tiver um ingresso, vou. Se não, assisto em casa mesmo”, disse o deputado Renan Filho (PMDB-AL). Presidente da comissão especial que discutiu a Lei Geral da Copa, ele dá a senha para quem deverá conseguir os bilhetes: “Acho que a Fifa vai lembrar de quem contribuiu para a aprovar o texto”.

A preferência dos parlamentares-torcedores pelos apelos à dupla Vicente Cândido-Vandenberg Machado mostra a falta de interlocução que a maior parte dos deputados e senadores têm com o governo do Distrito Federal. A Terracap, estatal do governo do DF que cuida da ocupação imobiliária, comprou 1000 entradas, e o Banco de Brasília (BRB), outras 400. Esses ingressos, conforme o governo, serão destinados a ações de marketing e relacionamento das instituições, mas devem ser distribuídos também a autoridades. Segundo o deputado Vicente Cândido, o governo do Distrito Federal e patrocinadores, como bancos privados e empresas de telefonia, também distribuirão ingressos a convidados.

Leia também:

Brasília: estádio recebe últimos retoques antes da abertura

Enquanto Dilma ignora falhas, sedes acumulam problemas

Um choque de culturas na Copa: a Fifa aprende o ‘jeitinho

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

No caso dos ministros, apesar de a Fifa já ter reservado uma cota de ingressos para os auxiliares da presidente Dilma Rousseff, o Código da Alta Administração Pública Federal, que elenca princípios éticos a serem seguidos por funcionários do governo, proíbe a distribuição de presentes acima de 100 reais, ainda que por cortesia, propaganda ou divulgação de eventos especiais. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, por exemplo, já teve de prestar contas por ter recebido entradas para um espetáculo do Cirque du Soleil.

Na abertura da Copa das Confederações, a CBF pretende montar camarotes exclusivos para os parlamentares na área mais nobre do estádio Mané Garrincha. Salas VIPs separadas estão reservadas para a presidente Dilma Rousseff e para o presidente da Fifa, Joseph Blatter. O camarote da Fifa, com espaço para 115 lugares, será ocupado principalmente por cartolas.

A tabela da Copa das Confederações

GRUPO A

  • Brasil
  • Japão
  • México
  • Itália

GRUPO B

  • Espanha
  • Uruguai
  • Taiti
  • Nigéria

FASE DE GRUPOS

  • 15 de junho 16:00
    • Brasil
    • Japão

    Brasília Estádio Nacional

  • 16 de junho 16:00
    • México
    • Itália

    Rio de Janeiro Estádio do Maracanã

  • 19 de junho 16:00
    • Brasil
    • México

    Fortaleza Castelão

  • 19 de junho 19:00
    • Japão
    • Itália

    Recife Arena Pernambuco

  • 22 de junho 16:00
    • Japão
    • México

    Belo Horizonte Estádio Mineirão

  • 22 de junho 16:00
    • Itália
    • Brasil

    Salvador Arena Fonte Nova

  • 16 de junho 19:00
    • Espanha
    • Uruguai

    Recife Arena Pernambuco

  • 17 de junho 16:00
    • Taiti
    • Nigéria

    Belo Horizonte Estádio Mineirão

  • 20 de junho 16:00
    • Espanha
    • Taiti

    Rio de Janeiro Estádio do Maracanã

  • 20 de junho 19:00
    • Uruguai
    • Nigéria

    Salvador Arena Fonte Nova

  • 23 de junho 16:00
    • Uruguai
    • Taiti

    Recife Arena Pernambuco

  • 23 de junho 16:00
    • Nigéria
    • Espanha

    Fortaleza Estádio Castelão

SEMIFINAL

  • 26 de junho 16:00
    • Primeiro do grupo A
    • Segundo do grupo B

    Belo Horizonte Estádio Mineirão

  • 27 de junho 16:00
    • Primeiro do grupo B
    • Segundo do grupo A

    Fortaleza Estádio Castelão

DISPUTA DE 3° LUGAR

  • 30 de junho 13:00
    • Perdedor da semifinal 1
    • Perdedor da semifinal 2

    Salvador Arena Fonte Nova

FINAL

  • 30 de junho 19:00
    • Vencedor da semifinal 1
    • Vencedor da semifinal 2

    Rio de Janeiro Estádio do Maracanã