Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Últimas Kombis produzidas no Brasil vão para a Inglaterra

Um lote com 99 exemplares do modelo desembarcou dia 10 em Southampton, onde esses veículos devem ser transformados em motorhomes customizados

A última fornada da Kombi fabricada pela Volkswagen em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, passou longe dos brasileiros. Segundo o jornal britânico Daily Mail, as unidades derradeiras do modelo, produzidas até dezembro no Brasil, desembarcaram no último dia 10 no Porto de Southampton, na Grã-Bretanha. O lote, com 99 unidades da Kombi brasileira, todas com carroceria branca, foi encomendado pela Danbury Motorcaravans, empresa de Bristol especializada em transformar as vans da VW em motorhomes.

Leia também:

Kombi sai de linha. Última versão vai custar 85.000 reais A velha ‘perua’ Kombi faz 55 anos. No Brasil

Ainda de acordo com o Mail, 20 unidades já haviam sido reservadas por clientes da Danbury antes mesmo de deixarem o Brasil. Cada um desembolsou 35.000 libras pelas vans (cerca de 135.000 reais – 50.000 reais a mais que o cobrado pela Last Edition, edição de despedida que teve 1.200 unidades produzidas). A Danbury é a maior empresa de customização de vans da VW da Grã-Bretanha.

Lá, os veículos são personalizados e, além de cores externas chamativas e rodas de liga leve, as Kombis podem receber vários itens, como estepe na dianteira, teto expansível, fogão e pia em aço inox, acabamento interno em madeira, bomba d’água, freezer, rádio com CD player, tomada de 240 V e bateria extra. A lista oferece ainda revestimento de couro nos assentos, aquecimento interno, tratamento anticorrosão e conectividade para iPod. De acordo com a Danbury, o custo para passar a direção do lado esquerdo para o direito é de aproximadamente 4.000 reais.

A Kombi deixou de ser fabricada no Brasil no último dia 19 de dezembro após 56 anos de produção ininterrupta. Ela sucumbiu à obrigatoriedade de abrigar freios ABS e airbags nos carros novos, que passou a valer neste ano. A VW alegou que a instalação desses equipamentos seria inviável economicamente. A Kombi brasileira era baseada na segunda geração do modelo, conhecido como T2 na Alemanha e descontinuada ainda na década de 1970. A versão atual vendida na Europa é a T5.