Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC: Shogun tenta calar Sonnen: ‘Vou buscar o nocaute’

Brasileiro luta contra o americano fanfarrão neste sábado, nos Estados Unidos

Depois da vitória de José Aldo sobre Chan Sung Jung, o Zumbi Coreano, no Rio de Janeiro, em 4 de agosto, o UFC volta a realizar uma noite de lutas neste sábado. E mais uma vez um brasileiro está no principal confronto: o curitibano Maurício Shogun enfrentará o falastrão Chael Sonnen, entre os meio-pesados, nos Estados Unidos. Antes de embarcar para Boston, Shogun conversou com o site de VEJA e contou detalhes da sua preparação para o confronto. “Aperfeiçoei meu treino de wrestling antes de saber que enfrentaria Chael Sonnen, pois acredito que esse foi meu maior erro na última luta.” Com um cartel instável desde que perdeu o cinturão para o atual campeão Jon Jones, em 2011, o brasileiro vem de derrota para o sueco Alexander Gustafsson, em 2012. Uma vitória não deve colocar Shogun na briga por uma nova disputa de cinturão, mas ele, certamente, subirá no ranking. O próximo desafio de Shogun pode ser contra outro brasileiro, Lyoto Machida, que perdeu para Phil Davis no UFC Rio 4 – há a possibilidade de Machida descer para os médios, o que tornaria a luta inviável. A transmissão do evento será exclusiva do canal Combate, a partir das 17 horas deste sábado.

Leia também:

Anderson Silva longe do octógono: entrevistas, reuniões e sede de revanche

Lutador deficiente consegue décima vitória no MMA

Arenas da Copa podem ser usadas para o UFC no Brasil

UFC Rio 4: cenas dos combates que você não viu na TV

Chael Sonnen é conhecido por provocar seus adversário, isso te incentiva? Sim, principalmente porque ele falou muita besteira sobre o Brasil. Até que desta vez ele não falou nada sobre mim, até elogiou (risos). Ele deve saber que não ligo para essas provocações, por isso não falou nada.

Um bom lutador precisa saber usar o marketing para divulgar sua luta? Não acho que isso seja essencial, mas ajuda no UFC. O Chael Sonnen é uma prova disso, pois já conseguiu muita coisa falando e vendendo suas lutas. Nunca entrei nesse jogo, nunca provoquei e nunca me deixei levar por provocações. Não tem porque mudar agora.

Como você acha que vai ser a luta e por que acredita que pode vencê-lo? Sou melhor que ele na trocação e no jiu-jítsu, mas ele tem um excelente wrestling. Respeito muito o Sonnen, mas vou fazer o que sempre fiz em minhas lutas, que é buscar o nocaute.

Você lutou no primeiro UFC Rio, em 2011, depois daquela luta surgiu alguma conversa para voltar ao Brasil? Apenas algumas conversas, mas nada muito certo. Quando foi cancelada a luta do José Aldo no UFC Rio 3, em outubro de 2012, procuraram o meu empresário mas não deu certo, estava muito em cima. Sou louco para lutar no Brasil novamente. No UFC Rio foi maravilhoso e quero reencontrar a torcida brasileira em massa de novo.

Assistiu a luta entre Lyoto Machida e Phil Davis, no UFC Rio 4? Sim, achei que foi muito dura, equilibrada, mas concordei com os juízes. Enxerguei uma leve vantagem para o Phil Davis no final dos três rounds.

A vitória de Davis ficou na mão dos juízes… Eu nunca quero deixar uma luta na mão deles, sempre busco terminar antes. Mas às vezes não dá. Contra o Sonnen, vou para cima, vou buscar o nocaute.

Aceitaria uma terceira luta contra o Lyoto Machida? (já se enfrentaram duas vezes, com uma vitória para cada lado) Claro. Muitos fãs me pedem essa luta, muitos querem ver essa luta novamente. Gosto do Lyoto, seria uma honra enfrentá-lo de novo. Acho que o ideal seria no TUF Brasil 3. Podemos ensinar muito aos fãs que acompanham pela televisão. Poderíamos passar a real filosofia das artes marciais, que é o respeito. Sempre tive vontade de ser treinador do TUF.