Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

UFC se prepara para ‘dia D’: estreia em TV aberta nos EUA

Transmissão deste sábado representa conquista de uma das grandes metas de Dana White: a chegada das lutas ao grande público, através da Fox e da Globo

Por Da Redação 11 nov 2011, 12h11

Apesar de ficar sentado na primeira fileira de cadeiras em todas as lutas, Dana White assiste aos combates por monitores – para saber ‘como os telespectadores estão vendo o show’

O UFC foi criado em 1993 pelo brasileiro Rorion Gracie e um sócio americano, que queriam provar qual era a arte marcial mais eficiente. O evento entrou em decadência, e em 2001 foi comprado por cerca de 1 milhão de dólares pelos irmãos Lorenzzo e Frank Ferttita, que nomearam o amigo Dana White como presidente. Neste sábado, o UFC realiza uma de suas edições mais importantes – e dá um grande passo para conquistar ainda mais fãs em dois países em que as lutas têm popularidade impressionante. Nos Estados Unidos, a Fox fará a primeira transmissão do evento ao vivo em TV aberta. No Brasil, a Rede Globo, campeã absoluta de audiência no país, estreará como detentora exclusiva dos direitos de transmitir o UFC – Galvão Bueno será o narrador, com Vitor Belfort comentando. Dana White, que sempre afirmou que tinha metas ambiciosas para espalhar a mania UFC pelo mundo, explicou que, para “educar os telespectadores”, apenas o confronto principal, entre o brasileiro Júnior Cigano e o campeão Cain Velásquez, será transmitido ao vivo.

“Ninguém mais do que eu sabe o quanto batalhamos para os lutadores fossem mais valorizados e para o esporte fosse levado a sério como é agora. Esse show vai ser diferente. Já estamos fazendo isso há mais de dez anos, mas nunca nesse formato”, disse o ex-lutador transformado em todo-poderoso da modalidade. White, aliás, tem um costume que ilustra bem essa preocupação com a popularização do UFC – apesar de ficar sentado na primeira fileira de assentos, bem em frente ao octógono, em todas as lutas, sempre assistiu aos combates por dois monitores de TV, para saber “como os telespectadores estão vendo o show em suas casas”. Uma luta de título no UFC dura em média 25 minutos, cinco rounds de cinco minutos, mas a transmissão de sábado terá uma hora. Antes do confronto principal, a Fox irá explicar as regras de MMA, os lutadores serão entrevistados ao vivo no aquecimento e algumas estrelas do UFC, como Anderson Silva, estarão na platéia para chamar a atenção do público. “Será a primeira vez que mostraremos como tudo funciona. Será um formato totalmente diferente de tudo o que fizemos antes”, disse Dana White. Prejuízo – Os organizadores estão comemorando os novos contratos com as emissoras, mesmo deixando de ganhar dinheiro com a luta deste sábado. Isso porque o evento foi oferecido em forma de bônus para a FOX e Globo, que detêm os direitos a partir de 2012, e a franquia não lucrará com o pay-per-view, que chega a vender 1 milhão de pacotes por noite apenas nos Estados Unidos. Segundo o Sports Business Journal, a disputa deste sábado venderia cerca de 400.000 pacotes, mas Lorenzo Fertitta, um dos donos do UFC, estimou que conseguiria vender cerca de 800.000 pacotes. Se tivesse vendido para 400.000 residências, já com a divisão com o canal responsável pela transmissão fechada, o evento renderia cerca de 9 milhões de dólares para os cofres do UFC. Leia também:

Venda de ingressos para UFC Rio deve começar em dezembro

Continua após a publicidade
Publicidade