Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

UFC processa Wanderlei Silva por acusações sobre lutas arranjadas

De acordo com site americano, Dana White se cansou das declarações do brasileiro

Por Da Redação 29 jul 2015, 11h56

A rixa entre o lutador brasileiro Wanderlei Silva e os chefes do UFC deve parar nos tribunais. Segundo informações divulgadas pelo site americano Bloody Elbow nesta quarta-feira, o UFC decidiu processar o atleta de 39 anos por “má conduta intencional”, dias após Wanderlei acusar a organização de promover lutas com resultados previamente combinados.

Leia também:

UFC faz cartilha e alerta lutadores sobre aids, prostituição e assaltos no Rio

Weidman volta a provocar brasileiros: ‘Venceria até Pelé’

UFC 189: lesionado, José Aldo não enfrenta McGregor

Continua após a publicidade

Wanderlei rompeu com a UFC em setembro do ano passado, quando o atleta foi banido pela Comissão Atlética de Nevada por fugir de um exame antidoping. O brasileiro foi proibido de lutar em Las Vegas, onde acontecem as principais lutas de MMA, e condenado a pagar multa de mais de 150 mil reais.

O lutador, então, prometeu que jamais voltaria a lutar pelo UFC e fez uma série de acusações, sobretudo contra o presidente da organização, Dana White. Na semana passada, Wand defendeu o americano Jacob Stitch Duran, o mais famoso cutman (profissional responsável por cuidar dos ferimentos dos atletas durante as lutas) do MMA, demitido por criticar o acordo da organização com uma marca de material esportivo. Além de pedir para também ser demitido, o brasileiro acusou o UFC de farsa.

Wanderlei Silva defendeu o cutman americano Jacob Stitch Duran, demitido por criticar acordo do UFC
Wanderlei Silva defendeu o cutman americano Jacob Stitch Duran, demitido por criticar acordo do UFC VEJA

“Demitiram-no, isso mesmo, demitiram o Stich por se posicionar contra esse roubo que está sendo feito contra os atletas. Aí pergunto, porque não me demitem? Eu já disse que não quero e não vou trabalhar mais pra esse evento, e não me demitem, é isso o que acontece com quem fala a verdade nesta empresa: é escorraçado. Eles não têm respeito por ninguém, eu já deixei bem claro pra vocês: não luto nunca mais pra esse evento. UFCirco! Lutas compradas, e posso provar isso! Ainda não soltei a bomba, não falei tudo que sei!”, afirmou em sua conta no Instagram.

“Já tentaram me comprar, mas não estou e nunca estive à venda. Vou lutar até o fim para desmascarar esses promotores, que estão iludindo o povo! E trapaceando, tirando a dignidade e a honra do nosso esporte! Esta virando WWE, telecatch, com lutas armadas. Temos que parar esses caras, pois isso é o fim da linha pra nós!”‘, desabafou em outra postagem.

Wanderlei Silva ainda ironizou sobre a última luta do irlandês Conor McGregor, que venceu o americano Chad Mendes, e conquistou o título interino dos pesos-pena do UFC. Segundo ele, a luta foi armada para que McGregor vencesse e pudesse enfrentar o brasileiro José Aldo na disputa pelo cinturão unificado. Graças a lesões, casos de doping e desavenças com Dana White e companhia, Wanderlei não luta pelo UFC desde março de 2013.

Com uma montagem, Wanderlei Silva acusou Dana White de ter forjado a vitória de Conor McGregor sobre Chad Mendes
Com uma montagem, Wanderlei Silva acusou Dana White de ter forjado a vitória de Conor McGregor sobre Chad Mendes VEJA

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade