Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC: flagrado no antidoping, Pezão culpa médico no Brasil

O atleta estava em tratamento de reposição hormonal e se defendeu dizendo que Marcio Tannure o orientou a aumentar doses de testosterona antes da luta

“O erro não foi meu, pois tudo foi passado por uma pessoa formada e que entende do assunto. Tenho consciência que não tentei fazer nada de errado para minha luta”, disse Antônio Pezão

O brasileiro Antônio Pezão empatou com o neozelandês Mark Hunt, em 7 de dezembro, em uma das lutas mais emocionantes de 2013 – foram cinco rounds muito equilibrados (e violentos). Depois do confronto, Pezão afirmou que aquele havia sido o combate mais difícil de sua carreira. Entretanto, o site americano MMAJunkie revelou na noite de segunda-feira que os exames do brasileiro apontaram que ele estava com um índice de testosterona acima do permitido pelo UFC. O torneio divulgou nota confirmando que ele estava autorizado a fazer a terapia de reposição hormonal de testosterona (conhecida como TRT), mas informando que ele não utilizou a substância dentro dos parâmetros autorizados – e que, portanto, teria de ser suspenso. “O resultado do seu exame no dia da luta indicou um nível de testosterona além do limite permitido”, diz o texto. Ao saber da notícia, Antônio Pezão apresentou sua versão no Facebook, explicando que aumentou as doses de testosterona ao ser orientado por um médico brasileiro e que não pretendia levar vantagem alguma no combate.

Leia também:

UFC: ‘Foi a luta da minha vida’, diz Pezão após duelo épico

Na Austrália, Maurício Shogun nocauteia e Pezão empata

St-Pierre se aposenta e entrega cinturão dos meio-médios

“Apenas fiz o que foi recomendado. O erro não foi meu, pois tudo foi passado por uma pessoa formada e que entende do assunto. Tenho consciência de que não tentei fazer nada de errado para minha luta. Estou tranquilo porque sei que o erro não foi meu”, disse o atleta, citando Marcio Tannure, médico do UFC no Brasil, como o profissional que fez com que ele aumentasse as doses de testosterona duas semanas antes da luta. Para comprovar sua versão, o brasileiro publicou um e-mail do médico com as instruções para aumentar as doses e o exame mostrando seus índices de testosterona antes da luta. Essa não é a primeira vez que Antônio Pezão é flagrado no exame antidoping. Em 2008, seu teste deu positivo para o esteroide boldenona. Ele tentou argumentar que a substância estava em um suplemento legal, mas acabou suspenso. Desta vez, o brasileiro ficará sem lutar por noves meses, retroativos à data do último combate, e perderá o bônus de 50.000 dólares (cerca 115.000 reais) que recebeu pelo combate. O dinheiro ficará com o oponente Mark Hunt. No cartel dos lutadores o combate deverá ser registrado como “sem resultado”, como já ocorreu em outras lutas.