Clique e assine com até 92% de desconto

UFC: em evento especial, St-Pierre tem seu maior desafio

Canadense tentará manter cinturão dos meio-médios contra Johny Hendricks

Por Da Redação 16 nov 2013, 13h51

Atletas lendários no UFC, como o brasileiro Royce Gracie, foram convidados a assistir ao evento na arena em Vegas

O UFC completou 20 anos na terça-feira, mas o evento comemorativo acontece só na noite deste sábado, em Las Vegas. O atleta escolhido para fazer a principal luta do card especial foi o canadense Georges St-Pierre, um dos recordistas em venda de pacotes pay-per-view, que enfrenta o americano Johny Hendricks. Com nove defesas de cinturão consecutivas, St-Pierre tem um duro trabalho pela frente, já que Hendricks vem de uma sequência de seis vitórias e é dono de um dos socos mais potentes do torneio. Na mesma noite, o falastrão Chael Sonnen fará contra Rashad Evans, nos meio-pesados, sua última luta antes de sua temporada no Brasil gravando a terceira edição do The Ultimate Fighter – ele deve passar um mês em São Paulo, a partir de janeiro. O UFC 167 começa às 21h30, com transmissão ao vivo dos canais pagos SporTV e Combate. O card conta com apenas um brasileiro: Thales Leites luta contra Ed Herman, nos médios.

Leia também:

UFC: os cinco desafios para os próximos vinte anos

As 20 zebras mais chocantes dos 20 anos do torneio

Os 20 lutadores que marcaram os 20 anos da franquia

As 20 melhores noitadas de lutas em 20 anos de UFC

Continua após a publicidade

O próprio Georges St-Pierre já admitiu que Johny Hendricks é um dos adversários mais perigosos de sua longa carreira. O canadense reconheceu o poder de nocaute do americano, afirmando que isso é uma arma que seus outros rivais recentes não tinham. St-Pierre já venceu os melhores atletas da sua categoria, mas a maioria era especialista em wrestling ou muay-thai, e poucos tinham tanta potência e tamanha capacidade de terminar a luta com apenas um golpe. Sabendo disso, o campeão deve ter mais cuidado quando tentar derrubar o adversário, para não ser surpreendido com um golpe de encontro que o apague. St-Pierre também deve evitar os exaustivos jabs que vem apresentando nos últimos duelos, quando tenta cansar o adversário, e vai pontuando para vencer na decisão dos jurados. Conhecendo bem o jogo do seu rival, Hendricks deve ter bolado uma estratégia que o tire de perto das grades e evite as quedas. É certo que o americano tentará manter a luta em pé e encaixar uma boa sequência de socos em linha contra St-Pierre.

Leia também:

Antes de vir ao Brasil, Chael Sonnen luta com amigo

St-Pierre, 31 anos, já teria o plano de aposentadoria

Anderson Silva é o ‘Jon Jones’ de Georges St-Pierre ​

‘Não deixo a emoção me afetar’, diz St-Pierre a VEJA

O sábado será de comemorações para o UFC, mas não exatamente do jeito que Dana White e sua trupe gostariam. A ideia inicial era realizar um megashow no Madison Square Garden, uma das mais tradicionais arenas de Nova York, que já recebeu lutas históricas de boxe, como os duelos entre Muhammad Ali e Joe Frazier, nos anos 1970. O MMA ainda é proibido na cidade e o UFC não conseguiu regularizar o esporte a tempo de comemorar o aniversário por lá. Com várias reuniões e muito lobby no estado, o torneio tem levado astros como Jon Jones, Anderson Silva e Ronda Rousey para participar da pressão em favor da liberação do esporte. Por outro lado, a festa deste sábado em Las Vegas terá um atrativo especial para os fãs: o lendário Royce Gracie é um dos convidados pelo UFC e vai acompanhar as lutas na arena. Uma de suas últimas aparições em eventos do UFC foi em 2006, quando tentou retornar ao torneio, mas foi derrotado por Matt Hughes. “Os responsáveis por criar o UFC vão se divertir bastante neste final de semana”, disse Dana White na quinta.

Continua após a publicidade
Publicidade