Clique e assine a partir de 9,90/mês

UFC: Carlos Condit vai enfrentar Georges Saint-Pierre

Por decisão unânime no UFC 143, americano conquista título interino dos meio-médios. Três brasileiros também venceram

Por Da Redação - 5 fev 2012, 03h14

A luta principal do UFC 143, na madrugada deste domingo, em Las Vegas (EUA), teve a vitória do americano Carlos Condit sobre seu compatriota Nick Diaz, o que lhe garante o direito de disputar o cinturão contra o canadense GeorgesSaint-Pierre, atualmente lesionado, na categoria meio-médio. Os brasileiros Fabrício Werdum e Renan Barão também venceram pelo card principal e nas preliminares Rafael Natal completou a noite brasileira no Mandalay Bay.

Na luta principal, os lutadores decepcionaram o público em uma luta muito equilibrada, vencida por Condit por decisão unânime dos juízes, após cinco rounds de pouca emoção. O primeiro round foi marcado apenas pelas provocações de Diaz, que abaixou a guarda, chamando o oponente para o confronto. As tentativas de desestabilizar Condit emocionalmente seguiram-se nos assaltos seguintes, e nenhum dos lutadores conseguiu encaixar grandes golpes. No quarto round, Condit foi para cima e levou ligeira vantagem. A disputa ficou para o último assalto, e na única vez que o confronto foi para o chão, Condit se defendeu bem e impediu a finalização.

A noite foi excelente para os brasileiros. Ao som do hit “Ai Se Eu Te Pego” de Michel Teló , o gaúcho Fabrício Werdum pisou no octógono em sua reestreia no UFC – não disputava uma luta na categoria principal desde sua demissão após a derrota para Júnior Cigano, em 2008- e não se intimidou diante do “gorducho” americano Roy Nelson. Logo no início, Werdum acertou uma joelhada certeira no rosto de Nelson, que sangrava abundantemente. O experiente americano se recuperou com um chute que levou o brasileiro ao chão, mas Werdum conseguiu se recompor.

No segundo round, houve troca franca de socos – nenhum perfeitamente encaixado – , Nelson resistiu bravamente às joelhadas e ambos demonstraram cansaço. No terceiro e decisivo round, o americano esteve perto da finalização, mas não conseguiu encaixar uma guilhotina. Werdum seguiu mais ativo e faturou a terceira vitória brasileira da noite por decisão unanime, na categoria peso-pesado.

Anteriormente, em uma luta muito estudada e equilibrada, o brasileiro Renan Barão venceu o americano Scott Jorgensen por decisão unânime dos juízes. A vitória do lutador potiguar, terceira consecutiva no UFC, o credencia como um dos próximos na fila pelo cinturão dos galos. Barão inclusive mandou um recado ao presidente do UFC após a luta: “Consegui seguir a estratégia e saí com a vitória. Dana (White), eu quero o cinturão!”, gritou, em português.

Continua após a publicidade

Em uma das lutas mais aguardadas da noite, os meio-médios americanos Josh Koscheck e Mike Pierce decepcionaram em uma luta com pouca ação. O duelo prometia desde a pesagem: para provocar, na sexta-feira, Pierce subiu na balança com uma peruca loira, semelhante ao cabelo do oponente. No entanto, durante a disputa, ambos se respeitaram demais e demonstraram cansaço. No fim, Koscheck saiu com a vitória em decisão dividida e deixou o octógono sob vaias da torcida.

Na primeira luta do card principal, o americano Ed Herman se recuperou de um início de luta ruim e finalizou seu compatriota Clifford Starks com um mata-leão no segundo round, pela categoria dos médio.

No card preliminar, que teve início às 22h, o brasileiro Rafael “Sapo” Natal bateu o holandês Michael Kuiper na categoria dos médios, por decisão unânime dos juízes. Apesar de aparentar cansaço, o mineiro, que vinha de uma vitória sobre Paul Bradley no UFC 133, encaixou bons golpes durante toda a luta, mas não conseguiu finalizar o oponente. No terceiro round, Natal se viu em dificuldades quando Kuiper acertou boa sequencia de socos, mas o brasileiro conseguiu se recuperar e chegar à sua 14ª vitória na carreira.

Nas outras disputas preliminares, Stephen Thompson nocauteou Dan Stittgen com um potente chute no rosto, Matt Riddle venceu Henry Martinez por decisão dividida dos juízes e Matt Brown superou Chris Cope por nocaute técnico, todas na categoria dos meio-médios. Na categoria peso-galo, Edwin Figueroa venceu Alex Cáceres por decisão dividida e Dustin Poirier finalizou Max Holloway com facilidade, na categoria dos penas.

Leia também: Sonnen: ‘Lutaria amanhã contra Anderson Silva’ Atletas do UFC perdem até 16 kg para ‘enganar’ a balança UFC: a ring girl Arianny Celeste quer aprender a sambar UFC com futebol é péssima ideia (a não ser para os clubes) MMA x futebol: qual machuca mais?

Continua após a publicidade
Publicidade