Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

UFC: Barão, invicto há 31 lutas – e ainda com algo a provar

Campeão interino espera volta de Dominick Cruz, o que deve ocorrer em 2014

Por Da Redação 17 set 2013, 07h57

“Espero que a luta de sábado seja a última disputa de título com um campeão interino”, disse Dana White

O potiguar Renan Barão detém não apenas o título interino da categoria peso-galo no UFC. Ele também é sério candidato ao posto de atleta mais subestimado do UFC. Com uma invencibilidade impressionante – são nada menos que 31 lutas sem perder -, Barão está com o cinturão desde 2012, quando venceu o americano Urijah Faber por decisão dos juízes. Por causa do longo afastamento do campeão linear, Dominck Cruz, com uma gravíssima contusão, o brasileiro ainda não teve o reconhecimento que merece dentro da franquia. Barão espera desde o ano passado pelo tira-teima com Cruz, mas o americano ainda não se recuperou de sua lesão no joelho. Restou ao brasileiro a missão de seguir lutando – e vencendo – para manter o título interino. Na noite de sábado, Renan Barão fará sua segunda defesa de cinturão, encarando o americano Eddie Wineland no UFC 165, em Toronto, no Canadá. A principal luta da noite será entre o campeão Jon Jones e o sueco Alexander Gustafsson, entre os meio-pesados. Outros dois brasileiros lutarão no UFC 165: Michel Prazeres luta contra o canadense Jesse Ronson pela categoria peso-leve, e Renée Forte enfrenta o canadense John Makdessi, também nos leves. O evento terá transmissão do canal pay per view Combate, a partir das 19h15 (horário de Brasília).

Leia também:

Alexander Gustafsson, enfim um rival à altura de Jon Jones

Jon Jones planeja sua carreira (longe de Anderson Silva)

UFC 149: Renan Barão pode ser próximo brasileiro campeão

Renan Barão já estreou no UFC com a responsabilidade de quem seria o futuro campeão de sua categoria. Um dos principais nomes da academia Nova União, liderada por Dedé Pederneiras, ele treina com atletas conhecidos, como José Aldo, campeão dos penas, e Hacran Dias. Mesmo sendo menor que Eddie Wineland (o brasileiro tem 1,68 metro e o americano tem 1,70), tem uma envergadura cinco centímetros maior que a do o rival, 1,80 metro. A facilidade de acertar golpes no adversário deve fazer com que ele aposte em seu muay thai para conseguir o sétimo nocaute na carreira. Se não conseguir ser eficiente na trocação, Barão estará seguro na luta de chão. Faixa preta de jiu-jitsu, ele tem catorze finalizações na carreira, sendo apenas duas delas no UFC. “O Eddie Wineland é um trocador, mas não é tão bom no chão quanto eu, que sou um faixa preta de jiu-itsu.” Adversário do brasileiro, Eddie Wineland venceu a maioria de suas lutas por nocaute, com seu excelente kickboxing. O desafiante também pode apostar no wrestling para conseguir boas quedas e tentar encerrar o combate no ground and pound.

Continua após a publicidade

Leia também:

Anderson em turnê mundial: a fama sobreviveu ao nocaute

Chris Weidman: ‘Anderson merece diploma em psicologia’

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Se vencer neste sábado, Renan Barão terá uma fila de desafiantes com poucos adversários à sua altura dentro da categoria. O desafio contra o campeão linear Dominick Cruz já passou da hora, mas não por vontade do brasileiro. Cruz corre o risco até de não conseguir voltar a lutar. Dana White disse que esperaria o americano se recuperar, mas já se vão quase dois anos sem pisar no octógono – seu último desafio foi uma vitória contra Demetrious Johnson, em outubro de 2011. A paciência aparentemente inesgotável do UFC com Cruz irrita muitos treinadores brasileiros, que enxergam uma proteção exagerada ao americano e dizem que ele já teria perdido o cinturão se fosse de outra nacionalidade. Pressionado, Dana White enfim decidiu conceder um prazo-limite para ele voltar ao octógono. “Espero que a luta de sábado seja a última disputa de título com um campeão interino”, disse o presidente da franquia, que também demonstrou sua insatisfação com a situação do americano. “Esperamos que o Dominick Cruz retorne no começo de 2014. Se ele não estiver recuperado até o fim do ano, teremos de tomar uma decisão.”

https://youtube.com/watch?v=g0DZGnLla_c%3Frel%3D0

https://youtube.com/watch?v=o99b4H2CKaU%3Frel%3D0

  • Dana White, o chefão do UFC
  • As ring girls no UFC São Paulo
  • UFC: a ring girl Arianny Celeste na praia, no Rio
  • UFC SP: o que você não viu na TV
  • UFC: Anderson Silva em fotos exclusivas para VEJA
  • UFC Rio 3: o que você não viu na TV
  • UFC Rio 3: por dentro do evento
  • Ronda Rousey, a nova musa do UFC
  • UFC: Anderson Silva x Chael Sonnen
  • No octógono com Júnior Cigano, campeão do UFC
Continua após a publicidade
Publicidade