Clique e assine a partir de 9,90/mês

UFC: Americano diz que Aldo precisa de ‘vacina para covardia’

O havaiano Max Holloway desafiou mais uma vez o brasileiro, campeão interino dos penas; ele é um dos cotados para tirar Aldo e McGregor do topo na categoria

Por Da redação - 24 nov 2016, 14h47

Ainda sem definir oficialmente seu futuro, a tendência é que José Aldo – atual campeão interino dos pesos-pena – volte a lutar no UFC mesmo depois de anunciar aposentadoria após divergência com o presidente Dana White. A decisão de Aldo, que ficou indignado ao não ser escalado para uma revanche contra o irlandês Conor McGregor (campeão linear da categoria), foi apoiada por alguns e muito criticada por seus rivais, inclusive o americano Max Holloway, o terceiro colocado do ranking dos penas e oponente promissor dos atuais donos dos cinturões.

Natural do Havaí, Holloway, de 24 anos, vem de nove vitórias seguidas no UFC e, em entrevista ao programa americano de rádio Toe-2-Toe, da SiriusXM, o lutador, que enfrentará Anthony Pettis em 10 de dezembro, desafiou José Aldo e o criticou por supostamente fugir de um confronto: “Depois desta luta contra Pettis, minha agenda se resumirá em saber se o Aldo tomou a vacina para covardia. Aquele filho da mãe está fugindo. Então diga a ele que ele não pode correr por muito tempo. Diga a ele que o havaiano está vindo e é sinistro. Ele deve estar preparado”, ameaçou Holloway.

José Aldo vence Frankie Edgar durante o UFC 200, em Las Vegas (EUA), na noite deste sábado
José Aldo conquistou o cinturão interino dos penas ao vencer Frankie Edgar durante o UFC 200, em Las Vegas, nos EUA Getty Images/<br>Rey Del Rio/Getty Images/Getty Images

O americano também disse que gostaria de pular a luta valendo o cinturão interino contra José Aldo para encarar uma revanche contra Conor McGregor, o último lutador a vencer Holloway, em 2012. McGregor, no entanto, anunciou recentemente após faturar o cinturão dos leves – o único lutador na história do UFC a ser campeão em duas categorias diferentes – que ficará afastado do octógono para acompanhar o nascimento do filho.

Publicidade