Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

UFC: à procura de desafios, Jon Jones quer rivais maiores

Para o treinador do campeão, mudança depende apenas do pedido da franquia

“Quando você é campeão, tem que lutar contra quem o UFC escolher”, diz o técnico do jovem astro americano

Depois de massacrar Chael Sonnen logo no primeiro round no UFC 159, o americano Jon Jones, campeão dos meio-pesados, deve passar alguns meses afastado do octógono para curar a grave fratura sofrida em seu dedão do pé. O tempo de recuperação do jovem astro será precioso para os dirigentes do UFC, que têm a difícil missão de escolher um novo desafiante para o campeão. Aos 25 anos, Jon Jones já derrotou todos os principais nomes de sua divisão. Entre as vítimas do americano há nada menos que cinco ex-campeões do UFC: Mauricio Rua, Rampage Jackson, Lyoto Machida, Rashad Evans e Vitor Belfort. Para calar os críticos que creditam seus bons resultados à diferença de tamanho – ele costuma ser bem maior que os outros lutadores da categoria até 93 quilos – , Jon Jones estaria disposto a subir de categoria e enfrentar adversários maiores e mais pesados. Se depender do seu treinador, o respeitado Greg Jackson, basta o UFC pedir para Jon Jones lutar entre os pesados, categoria que tem o americano Cain Velasquez como atual campeão. Tão confiante quanto o pupilo, o técnico fala em buscar lutas cada vez mais difíceis.

Leia também:

UFC 159 faz Anderson pedir Jones – e aposenta Sonnen

Vitória de Sonnen seria o nocaute na credibilidade do UFC

“Quando você é campeão, tem que lutar contra quem o UFC escolher. Nós vamos enfrentar o Lyoto Machida novamente, vamos lutar contra o Alexander Gustafsson e contra qualquer adversário que esteja em nosso caminho”, disse Greg Jackson ao site MMA Fighting. O brasileiro Lyoto aparecia como o provável adversário da próxima disputa de cinturão de Jones, mas o americano não está muito animado com o desafio – depois do UFC 159, disse que preferia pegar o sueco Gustafsson, que tem um porte físico parecido com o seu. Jones está claramente à procura de desafios maiores: na luta contra Sonnen, que claramente não tinha a menor condição de ameaçá-lo, o campeão decidiu lutar no estilo de combate praticado pelo próprio Sonnen, apenas para dar alguma graça ao duelo. Ainda ao comentar uma mudança de categoria depois dos possíveis combates contra Lyoto e Gustafsson, Jackson explicou que deixa seu pupilo livre para escolher, mas brincou que seria “divertido” ver o campeão atuar entre os pesados. “Estou tranquilo quanto a isso, vou ajudá-lo nesta transição de categoria. Eu gosto de desafios, gosto de fazer coisas diferentes”.

  • Dana White, o chefão do UFC
  • As ring girls no UFC São Paulo
  • UFC: a ring girl Arianny Celeste na praia, no Rio
  • UFC SP: o que você não viu na TV
  • UFC: Anderson Silva em fotos exclusivas para VEJA
  • UFC Rio 3: o que você não viu na TV
  • UFC Rio 3: por dentro do evento
  • Ronda Rousey, a nova musa do UFC
  • UFC: Anderson Silva x Chael Sonnen
  • No octógono com Júnior Cigano, campeão do UFC