Clique e assine a partir de 9,90/mês

UFC 165: Jones leva susto e luta mal, mas mantém o título

Vaiado pelos fãs, campeão ficou perto de ser derrotado pelo sueco Gustafsson, que só deixou escapar uma vitória histórica porque faltou fôlego na reta final

Por Da Redação - 22 set 2013, 01h45

O favorito para enfrentar Jones na próxima luta é o brasileiro Glover Teixeira, que vem de uma convincente sequência de vitórias

O reinado de Jon Jones no UFC continuou – mas foi por pouco. Encarando um adversário mais alto – e escolhido sob medida para o americano rebater as críticas de quem diz que ele só domina sua categoria por causa do tamanho -, o líder do ranking peso-por-peso do torneio sofreu para manter o cinturão, derrotando o sueco Alexander Gustafsson, na madrugada deste domingo, no UFC 165, por decisão dos jurados. A luta começou de forma surpreendente, com o desafiante tomando a iniciativa e ameaçando Jones na trocação. O campeão acabou o primeiro assalto com um corte no supercílio e sofreu a primeira queda de sua carreira no UFC. No segundo round, Jones melhorou, mas ainda assim sofreu com a estratégia muito bem executada pelo sueco. No terceiro round, o sueco manteve o domínio, e esticou esse controle do combate até o fim do quarto assalto, quando Jon Jones enfim conseguiu recorrer à sua especialidade: as cotoveladas.

Com uma sequência devastadora, o americano deixou o sueco grogue – Gustafsson foi salvo pelo gongo. Jones conseguiu levar o oponente ao solo pela primeira vez apenas no round final, mas Gustafsson logo escapou, como fez em quase todo o duelo. Com os dois lutadores muito desgastados, ambos ficaram com a guarda baixa e trocaram golpes até os instantes finais – o sueco estava visivelmente sem forças para atacar. Na pontuação final, o americano foi declarado vencedor de forma unânime. A decisão foi muito vaiada pelo público. Com mais esse triunfo, Jon Jones passa a ser o atleta com maior número de defesas de cinturão bem-sucedidas na categoria meio-pesado. O favorito para enfrentá-lo na próxima luta é o brasileiro Glover Teixeira, que vem de uma convincente sequência de vitórias e é visto por muitos como uma possível ameaça à soberania do americano no UFC. Glover, aliás, acompanhou a luta de perto, sentado bem de frente para o octógono montado no Air Canada Centre, em Toronto, Canadá.

Leia também:

Continua após a publicidade

Jones tenta ser simpático, mas é vaiado na pesagem

Para Dana White, Jones vai superar Anderson Silva

Os impressionantes números do campeão Jon Jones

Gustafsson, enfim um rival à altura de Jon Jones

Continua após a publicidade

Brasileiro ainda campeão – Renan Barão manteve o domínio da categoria peso-galo do UFC. No início da madrugada deste domingo, o atleta potiguar de 26 anos nocauteou o americano Eddie Wineland, quarto colocado no ranking oficial da divisão. Em sua segunda defesa de cinturão interino, Barão buscava a 33ª vitória de sua carreira e o 21º triunfo consecutivo. Depois de um primeiro assalto equilibrado, com o americano buscando a iniciativa, Barão acertou um chute rodado espetacular na cabeça de Wineland no início do segundo assalto. Ao ampliar suas marcas positivas e manter o título, resta apenas um desafio ao brasileiro: o tira-teima contra o campeão linear Dominick Cruz, que está afastado há um longo período por contusão e corre risco real de perder seu status para Barão caso se recupere e o enfrente até o primeiro semestre do ano que vem. O presidente do UFC, Dana White, já avisou que o brasileiro será considerado o dono legítimo do cinturão caso Cruz não retorne para encará-lo. .

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

No card preliminar do UFC 165, três brasileiros entraram em ação, com duas vitórias para o país. Em sua estreia no torneio, Wilson Reis derrotou Ivan Menjivar, que está no top 10 da categoria peso-galo, por decisão unânime dos jurados. Michel Trator bateu Jesse Ronson por decisão dividida e John Makdessi superou Renée Forte por nocaute, logo no primeiro round. Nas demais lutas, Daniel Omielanczuk nocauteou Nandor Guelmino no terceiro round, Alex Caceres derrotou Roland Delorme por decisão dividida, Mitch Gagnon finalizou Dustin Kimura no primeiro round, Stephen Thompson nocauteou Chris Clements no segundo assalto e Myles Jury venceu Mike Ricci por decisão dividida. O card principal começou com Khabib Nurmagomedov derrotando Pat Healy por decisão unânime e Francis Carmont superando o favorito Costa Philippou também por decisão unânime. Antes das disputas de cinturão, Brandan Schaub finalizou Matt Mitrione logo no primeiro round. O próximo evento do UFC acontece no Brasil: será em 9 de outubro, em Barueri, com Demian Maia encarando Jake Shields no principal combate da noite.

Publicidade