Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

UFC 140: Jones ‘apaga’ Machida e mantém o cinturão

O carateca brasileiro fazia um ótimo combate contra o campeão. Mas uma cotovelada e um estrangulamento acabaram com a luta no segundo round

Por Da Redação 11 dez 2011, 01h12

Jones ainda decretou a vitória dos americanos na soma dos duelos contra os brasileiros, numa noite em que o país podia se transformar na maior potência do UFC

O Brasil termina 2011 empatado em número de títulos com os Estados Unidos no UFC: são três para cada lado (George Saint-Pierre, do Canadá, detém o único título que não está nas mãos de brasileiros ou americanos). Lyoto Machida já foi campeão em 2009, mas perdeu o titulo para Mauricio Shogun Rua, no UFC 113. Na madrugada deste domingo, o carateca voltou a ter a chance de conquistar o cinturão, mas foi derrotado pelo americano Jon “Bones” Jones no UFC 140, o penúltimo do ano. Machida fazia um ótimo combate quando dois golpes espetaculares acabaram com suas chances no segundo round – primeiro, uma cotovelada que abriu um enorme ferimento em sua testa; depois, um estrangulamento que fez o brasileiro perder os sentidos e “apagar” num canto do octógono.

Jones, eleito o lutador de MMA do ano, continuou com o título de campeão dos meio-pesados – e ainda decretou a vitória dos americanos na soma dos duelos contra os brasileiros, numa noite em que o país podia se transformar na maior potência do UFC. Foram duas vitórias americanas contra uma brasileira. Nas outras lutas envolvendo atletas dos dois países, Minotouro venceu Tito Ortiz e Rodrigo Minotauro perdeu para Frank Mir.

Sempre muito agressivo, Jon Jones economizou nas cotoveladas e foi comedido nos golpes no primeiro round. O americano ocupou o centro do octógono, mas o brasileiro soube aproveitar os contra-ataques. Lyoto Machida tentou fazer o mesmo jogo quando venceu Rashad Evans no UFC 98: dominar o centro e apostar nas combinações de socos com chutes baixos. Jon Jones, porém, não deu espaço para a estratégia e encaixou uma finalização no brasileiro nos segundos finais do segundo round. Muito abatido depois de conversar com os médicos, Lyoto aceitou a derrota e saiu repensando sua estratégia.

A participação brasileira no card principal do UFC 140 começou de forma positiva – Rogério Minotouro cumpriu a promessa de acabar com Ortiz por nocaute. Logo em seguida, porém, seu irmão gêmeo Rodrigo Nogueira foi finalizado no primeiro round. O americano Frank Mir conseguiu sair de uma situação complicada para deslocar o ombro do brasileiro e terminar a luta. Minotauro tinha disparado uma potente combinação de socos que balançou Mir, mas não o derrubou, como fez o brasileiro no UFC Rio, contra Brendan Schaub. Ao invés de concluir o nocaute com socos, Minotauro tentou imobilizar o rival – que virou a situação de forma inesperada e decretou a derrota do brasileiro, que é considerado um dos revolucionários do jiu-jitsu brasileiro.

Vindo de duas derrotas, Rogério Minotouro conseguiu realizar um belo combate e afastou os boatos sobre uma possível aposentadoria. Ortiz começou melhor, mas o brasileiro conseguiu derrubar o adversário ao encaixar uma joelhada certeira no abdome do rival. Atordoado, o fortíssimo Ortiz ainda resistiu no chão ao ataque de Minotouro, que encaixou vários golpes entre a cabeça e o tórax. Depois da derrota logo no primeiro round, Ortiz, segurando as lágrimas, reafirmou que pensa em deixar o octógono. “Vou dar um tempo e aproveitar pra curtir o Natal com a família. Ainda tenho uma luta em contrato com o UFC e espero que o Dana White me deixa honrá-la.” Minotouro, por sua vez, deve seguir no principal evento de MMA do mundo. Leia também: Empresa de Eike vai controlar os eventos do UFC no Brasil Dana White quer UFC em estádio brasileiro

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês